11 de out de 2009

PAPÉIS ESQUECIDOS



Uma necessária reforma no casarão em que se abriga, em Buenos Aires, a octogenária Sociedade Argentina de Escritores, revelou um grande tesouro. Manuscritos de Rubén Dario (de La Marcha Triunfal) e de Valle-Inclán; cartas de Alfonsina Storni, e milhares de outros documentos, reunidos em 1290 envelopes marrons. O original de La Marcha Triunfal de Dario impressionou o atual presidente da SADE, Alejando Vaccaro, pela beleza da caligrafia e espontaneidade do texto – sem nenhuma emenda. Outra caligrafia bela é a de Valle-Inclán, o comediógrafo espanhol, em carta datada de Assunção, em 1910. O mordaz autor de Los cuernos de Don Friolera tivera duas grandes impressões da viagem ao Paraguai: as majestosas águas do rio Paraná, que ele comparava às do Nilo, e a irritação por ter sido roubado no porto. Talvez em razão desse segundo sentimento, tenha escrito o libelo satírico Tirano Banderas, sobre hipotético déspota latino-americano.
Os papéis velhos costumam ser reveladores. Entre os que se encontravam no porão da casa bonairense, há uma carta de Alfonsina Storni, pedindo a um amigo que consiga, para o filho, de 27 anos, uma promoção no serviço público, a que ela mesma pertencia. Pouco conhecida no Brasil, Alfonsina, que nasceu na Suíça e emigrou para a Argentina aos 4 anos, com a família, foi uma das maiores poetisas em língua espanhola. Mulher inquieta, sua poesia é marcada pelo erotismo. Solteira, teve o único filho aos 18 anos, quando era professora primária. O primeiro livro, La inquietud del rosal, foi uma grande revelação. Teve uma grande afeição pelo contista uruguaio Horácio Quiroga, que se matou, profundamente deprimido, um ano antes de Alfonsina.
Poucas horas antes de matar-se, em 25 de outubro de 1938, a grande poetisa - atingida pelo câncer havia anos - redige belo poema de despedida da vida, e o envia para um jornal. O poema é publicado logo depois de conhecida sua morte.
A descoberta de velhos papéis, com suas revelações, é tema constante na literatura de ficção. Talvez o mais interessante exemplo desse recurso seja o de Henry James, com The Aspern Papers. Um obstinado pesquisador busca cartas atribuídas a um jovem poeta norte-americano, Jeffrey Aspern, morto prematuramente. Para isso, viaja a Veneza, e procura ali uma senhora que se correspondia com Aspern. Usa de todos os recursos, alguns absolutamente imorais, na tentativa de obtê-los. O final é inesperado.
Mário Palmério deixou inconcluso um romance, no qual a demolição de uma casa em Uberaba revela a existência, no passado, de um assassino perfeito, mediante suas confissões escritas. Atanásio, o personagem de Mário, fora professor de química e se dedicara a vingar as vítimas dos poderosos do lugar. No plano da obra e nas páginas redigidas pelo autor de Chapadão do Bugre, o livro, o romance lembra o conflito interior do homem, diante do bem e do mal e do sentimento de justiça, tão presente em grandes ficcionistas ingleses como Chesterton e Graham Greene.
A realidade se diverte com a arte. Exatamente na casa dos escritores, textos importantes foram esquecidos e o acaso os traz agora à atualidade.

Nenhum comentário: