22 de mar de 2012

A EXTREMA DIREITA E OS ATENTADOS NA FRANÇA


(JB) - A polícia francesa se encontrava, na noite de ontem, mobilizada a fim de identificar o homem que matou quatro pessoas, entre elas três crianças, e feriu outras, em uma escola judaica de Toulouse. Houve, tanto em França, como em Israel, preocupação em culpar os demônios do momento, ou seja, os “terroristas muçulmanos”. Antes de qualquer manifestação das testemunhas, os meios de comunicação e os porta-vozes oficiais quiseram inculpar os islamitas. Coube aos próprios policiais relacionar o atentado contra a escola judaica de Toulouse à morte de dois paraquedistas franceses, e graves ferimentos em dois outros, na mesma região, nestes mesmos dias, e de forma semelhante.
O detalhe que Tel Avive esqueceu: os dois paraquedistas mortos em Montauban, a 40 quilômetros ao norte de Toulouse, quinta-feira passada, eram muçulmanos, do norte da África: Abel Chenouf e Mohamed Legouard. Um terceiro muçulmano, Imad Ibn Ziaten também militar e igualmente paraquedista, fora alvejado na mesma cidade de Toulouse, no domingo anterior. Em todos os atentados, o assassino usava uma motocicleta. A arma que matou os soldados franceses é do mesmo calibre da que foi usada na escola judaica, ontem pela manhã. Apesar disso, há ainda quem tente atribuir os dois atentados aos muçulmanos. Quando examinamos os fatos com ódio, ou com leniência, é difícil ver as coisas em sua clareza. E há quem atribua os crimes aos muçulmanos em razão de seu próprio e calculado interesse.
Tudo é possível, em atos semelhantes, mas os primeiros indícios relacionam a brutalidade do matador de crianças judaicas à rearticulação da extrema direita racista na Europa de hoje. O atentado de Toulouse lembra - ainda que o número de vítimas tenha sido menor - a chacina da Noruega, plenamente assumida por um neonazista. As elites européias repetem os mesmos movimentos econômicos, políticos e culturais que promoveram, nos anos 20 e 30, o nazifascismo no continente, com os resultados conhecidos. Quando perceberam que Hitler tinha seu próprio projeto de ditadura universal, era quase tarde. Só a resistência desesperada dos russos, na defesa de sua pátria, pôde conte-los e empurra-los de volta a Berlim, onde foram vencidos. É de se ressaltar, também, o heróico sacrifício dos ingleses, durante os ataques aéreos sistemáticos a Londres e a outras cidades.
Os novos nazistas são os velhos nazistas e já não se inibem em manifestar-se. Um membro do SPD, Thilo Sarrazin, nascido no mesmo ano da derrota alemã, 1945, publicou violenta proclamação racista contra os muçulmanos - por ironia, seu sobrenome, vindo do francês, significa Sarraceno. Não poupou, como bom nazista, os judeus, insistindo na tese de que eles têm um gene particular e único. Seu livro “Deutschland Schafft Sich Ab” (A Alemanha se destrói) está sendo dos mais vendidos nos país. Apesar do caráter nazista do livro, o SPD ainda não o expulsou de seus quadros. Depois da morte de Willy Brandt, muitos socialistas alemães em nada diferem de seus adversários da CDU.
O caso mais grave, neste momento, é o da Hungria, onde o primeiro ministro Viktor Orban retorna aos anos terríveis da ditadura de Horthy, com a censura à imprensa e o racismo ensandecido. As milícias de seu partido, o “Jokkib”, semelhantes às S.A. dos nazistas, estão caçando ciganos a porretadas e aterrorizando as aldeias do país. Na Itália, os neofascistas atuam com toda ousadia, desde que Berlusconi, à frente de seu partido de extrema direita, assumiu o poder.
Para eles, judeus e muçulmanos pertencem a um só grupo de “inferiores” que devem ser eliminados, em nome da pureza dos soi-disant arianos. Em nosso país há também os que defendem a pureza racial européia e o seu direito a nos dominar. É hora de contê-los, antes que se faça tarde. Não podemos tolerar nenhuma violência racista, seja contra judeus ou muçulmanos, negros ou nordestinos. Se outra razão não houvesse, a imensa maioria de brasileiros é constituída de mestiços, e temos nos dado muito bem com essa mescla de sangues e de culturas diferentes.


Este texto foi publicado também nos seguintes sites:











12 comentários:

Anônimo disse...

Será que estamos presenciando o renascimento/adaptação da "estratégia da tensão", ao estilo da Operação Gladio (http://en.wikipedia.org/wiki/Operation_Gladio)?

Atacar a si próprio e culpar um bode expiatório é medida de provada eficácia. Inúmeros são os exemplos históricos (Gladio, fogo do Reichstag, "remember the Maine", Guy Fawkes, afundamento do Lusitânia, incidente do Golfo de Tonkin...).

Trata-se de estratégia que visa à criação de um ambiente psicossocial (interno e/ou externo - talvez "comunitário, no caso da Europa) propício à imposição ("democrática", é claro) de iniciativas de segurança que seriam inaceitáveis, impopulares e ilegítimas antes da ocorrência do(s) evento(s) trágico(s).

É uma forma de mobilização nacional sintética, que possibilita a utilização mais integrada das capacidades nacionais (e, hoje, internacionais) de intervenção.

Um ótimo livro para se compreender a questão dos limites ao uso integrado do poder nacional é
"Strategic Psychological Operations And American Foreign Policy" (1960), de Robert Holt, disponível em http://www.archive.org/details/strategicpsychol030832mbp.

Boa leitura!

Ivan disse...

"Viktor Orban retorna aos anos terríveis da ditadura de Horthy, com a censura à imprensa"

Imprensa como a sua deveria ser censurada mesmo!

Os criminosos são mulçumanos e você logo vem com esta conversa furada de neonazismo, extrema direita, judeus e minorias...

Qual o objetivo disto? Quer beneficiar quem? Você mesmo, seu obscuro "patrão"?

Estas farsam cada dia convencem menos, seja honesto, seja honrado!

Noticie a verdade, pois a verdade aparece com o tempo e os mentirosos caem, como caiu a advogada vadia na Suíça e os políticos sujos que fizeram uma tempestade de mentiras na mídia prostituta!

Nem consegui comentar no Jornal do Brasil, na notícia EDITADA após aparecerem as verdadeiras identidades dos "coitados de minorias mulçumanas" vítimss dos terríveis neonazistas!

É safadeza demais, não caio mais nessa!

Pode demorar, mas a vitória virá,contra estes "donos da informação", destas entidades e empresas obscuras e seus estranhos objetivos!

Péssimo final de semana para você e sua "língua" venenosa!

Anônimo disse...

Voce não passa de um filho da puta mentiroso. Heil Hitler!

Anônimo disse...

Mauro Santayana é mais um jornalista de esquerda que não engana mais ninguém. Sua visão esquerdista do mundo só engana os mais ignorantes.

Aposto que o senhor Mauro foi mais um jornalista esquerdista que disse que os movimentos que aconteceram no Oriente Médio eram movimentos democráticos que buscavam os interesses do povo.

O Oriente Médio já caiu nas mãos dos mulçumanos radicais como a tal Irmandade Islãmica. Daqui pra frente é ver a situação se agravar naquela região.

Rezo que eu esteja errado. Mas quem estuda os movimentos islãmicos, sabe muito bem que isso faz parte deles.

Aliás, isso está escrito na lei do Alcorão: passar uma imagem daquilo que os mulçumanos não são para enganar os inimigos do islã.

Isso está no Alcorão!


Veja a situação no Egito. Aquele país agora está sem controle: O que é bom para os radicais islãmicos que irão começar a fazer um banho de sangue contra aqueles que eles consideram ocidentalizados.

Quando acontecer em todo o Oriente Médio aquilo que está acontecendo no Egito, seja homem de reconhecer que vocês jornalistas mentiram ao induzir todo mundo que os movimentos arábes naquela região eram democráticos senhor Mauro Santayana.

Renato

Anônimo disse...

Sr. Santayana,

Faz muito bem em publicar comentários contrários pois revela-nos, a partir da chula linguagem deles, os estreitos limites mentais de seus detratores.
Obrigado, Mestre Santayana,
Leninson

joao disse...

O EGITO está nas mãos dos MILITARES(DITADURA) comunada com JUDEUS E EUA !! Isso que é ditadura que os Americanos estão adorando êsses milicos !!

Mauro Santayana disse...

Obrigado pelas gentis palavras, Leninson. E um abraço.

Nazismo Nunca Mais disse...

Os atentados foram feitos pela extrema-direita e o Mauro tem toda a razão nesta história. Vocês devem ler mais e parar com esse preconceito contra as minorias oprimidas.

Marcos disse...

A cachorrada NAZISionista vai a loucura quando ler a verdade, os comentarios acima revelam isso.

Adriano disse...

Boa tarde, Mauro.

A família de Merah nega peremptoriamente que o rapaz seja o responsável pelos assassinatos, ou que estivesse envolvido com terrorismo, al qaeda, viagens ao Paquistão e as outras alegações:

http://wsws.org/articles/2012/mar2012/mera-m31.shtml

Anônimo disse...

Ainda Toulouse: precipitação e torcida comprometem cobertura dos grandes jornais

http://www.midiaamais.com.br/midia-em-foco/7941-ainda-toulouse-precipitacao-e-torcida-comprometem-cobertura-dos-grandes-jornais

Aprenda a fazer jornalismo de verdade senhor Mauro.

Anônimo disse...

HAHAHAHAHAHHA MEGA FAAAAAAAAAAAAIL!!!

Esquerdalhos e suas patéticas tentativas de censurar e oprimir a crescente direita nacionalista que ainda há de salvar a Europa do chiqueiro que se encontra agora.

Rio demais. Li cada comentário que pareceu até brincadeira.