25 de dez de 2014

VIM



Alados seres murmuraram meu nome,

e um brilho tênue anunciou-me antes,

entre milhões de outros,

na noite coalhada de cometas 

e estrelas,

estendida como um manto

sobre o vento e a areia.


Vim,

como muitos

antes de mim.


Para admirar-me

com as nuvens

e o correr do Sol e dos rios,

os lagartos e os peixes,

as serpentes e os escorpiões,

os trovões e os lagos,

e o egoísmo,

a violência e a injustiça

dos corações humanos.


Vim

para falar daqueles

que pisam sobre os outros,

dos que acumulam

riquezas e certezas

e se regozijam sobre fartas mesas,

enquanto seus escravos 

quase nada comem.


Vim para contar de golpes 

e de faces. 


De moedas, agulhas,

e camelos.


De peixes,  redes,

tempestades.


Da morte, 

do medo e da vontade.


De demônios e imperadores,

e reinos nunca vistos antes.


Se és daqueles que matas, 

discriminas,

calunias,

desprezas,

torturas, 

mentes,

enganas,

e roubas

em meu nome,

minha mão te espera,

ensanguentada e em chagas,

e não escaparás dela,

por mais que tenhas 

vestes e templos,

lanças e armaduras,

incenso ou ouro.


Se és daqueles 

que se satisfaz,

quando assaltas e tiras a vida,

e espancas teus irmãos e tuas irmãs,

e teu bastão 

se abate contra os indefesos,

e teu chicote 

corta a carne dos mais fracos,

em porões e prisões

como aquela em que estive um dia,

minha mão te espera,

ensanguentada e em chagas,

e será pesada,

por mais que carregues

escudos, 

correntes e espadas.


Se afirmarem que minhas ideias 

estão mortas, estarei vivo.


Se disserem  que estou fraco,

estarei mais forte.


Se falarem que ando com 

príncipes e ricos,

me encontrarão entre os desprezados,

no meio dos loucos e dos leprosos,

dos rebeldes e dos pobres.


Se és cruel,

hipócrita e injusto, 

cuida e teme.


Do alto da cruz,

meus olhos te contemplam.

E a alma em meu peito ainda geme,

suspira e luta,

enquanto meu coração, 

indignado,

treme.



5 comentários:

Lucas Parente disse...

Eis um texto digno do Natal.

Parabéns, Santayana.

Feliz Natal, muita saúde e prosperidade para vc.

Mauro Santayana disse...

Obrigado, Lucas.

O mesmos votos faço para você e os seus.

abs.

Helena Ortiz disse...

Parabéns e obrigada pelas postagens - um alento para quem acredita no jornalismo. Desejo-lhe um novo ano com a lucidez que desperta consciências.

Mauro Santayana disse...

Obrigado pelas gentis palavras, Helena, e um excelente (esperemos) ano novo para todos nós e para o Brasil.

Rafael Nascimento disse...

Que bom existir jornalista como Você, Mauro, é uma benção! Texto ILUMINADO!

Rafael Nascimennto