9 de mar de 2011

ALÔ, ALÔ, TELEBRAS, SOCORRO !


O Governo Federal deveria aproveitar os quase 20 bilhões de dólares que vai receber de dividendos de estatais este ano (principalmente o BNDES) e capitalizar a Telebras, para que esta voltasse a atuar no varejo no mercado brasileiro de telecomunicações, um dos mais caros do mundo. Além das telecomunicações serem estratégicas do ponto de vista da segurança nacional (em caso de guerra vamos ficar na dependência de técnicos e multinacionais estrangeiras?), já ficou provado, como aconteceu com os bancos, que a melhor forma de regular o mercado não são as agências reguladoras, e uma legislação que protege desde o início as grandes empresas de telecomunicações, mas sim a presença de pelo menos uma boa estatal no mercado, oferecendo tarifas justas, para se evitar o estado de permanente atentado à economia popular e de assalto ao bolso dos consumidores. Chega de hipocrisia. A maioria das empresas de telecomunicações que vieram para cá nos anos 90, ou tem participação estatal, ou são, direta ou indiretamente, controladas pelos seus respectivos governos, que interferem nas grandes decisões (principalmente na hora da venda de ações), como é o caso da TIM italiana, da Telefonica, da Espanha (Vivo e Telesp) e da Portugal Telecom.

Nenhum comentário: