10 de set de 2015

A MULA E OS VERMES




(RB) - O reerguimento despudorado da extrema direita em todo o mundo, como reação tardia à descolonização da África e da Ásia, à vitória de regimes nacionalistas e de esquerda na América Latina, à resistência de países como a Rússia contra o cerco ocidental, e ao fortalecimento dos BRICS, que estão criando um banco internacional de fomento que reúne alguns dos  principais credores dos EUA e um fundo de reservas no valor de 100 bilhões de dólares, tem sido pródigo em cenas dantescas e episódios emblemáticos, que poucos imaginariam possíveis, em sua sordidez e brutalidade, neste primeiro quarto do século XXI.        


Na Alemanha, dois neonazistas invadem uma cabine de trem, e, aos gritos de Heil Hitler!, depois de fazer a saudação nazista, urinam sobre uma imigrante e suas duas crianças pequenas.


Na Suécia, um imigrante romeno, cigano e sem teto, é atacado com ácido no rosto, enquanto dormia em um parque de Estocolmo.


Na Ucrânia e em vários países do leste do Velho Continente, os ciganos se encontram acossados, em seus próprios bairros, que tem sido invadidos por milícias racistas e fascistas.  


Na França e em outras nações, judeus de  classe média, profissionais liberais, artistas e empresários, fazem fila para emigrar para Israel, assustados com o recrudescimento de um virulento antissemitismo, por parte daqueles que também sempre atacaram árabes, negros e outras minorias.  


As ameaças de neonazistas ao Papa Francisco, às vésperas de sua viagem aos Estados Unidos,  e as cenas de uma cinegrafista, de emissora ligada ao partido de extrema direta Jobbik, dando coices, como uma mula ensandecida, em crianças de menos de dez anos, e derrubando com rasteiras pais desesperados, carregados de bebês, que tentavam escapar das agressões da polícia na fronteira da Hungria, sob aplausos, na internet, dos mesmos brasileiros - "Se alguém com coragem tivesse feito isso nos paus de arara que chegavam.em SPO (sic), hoje a cidade seria mais bonita e melhor pra se viver. Congratulations pra mocinha!" - que defendem também a ditadura, a tortura e assassinato por agentes do Estado, como no caso da chacina de Osasco, não são mais do que diferentes ângulos de um novo despertar: o do Fascismo, que emerge, por todos os lados, como uma  praga de vermes, favorecida por um mundo dominado, ainda, em sua maior parte, por um sistema baseado no egoísmo, no preconceito, na hipocrisia.


Um sistema que, no entanto,  se sente cada vez mais pressionado, e que é responsável pelas consequências e contradições que ele mesmo estabeleceu, ao longo dos últimos 500 anos, ao permitir organizar-se e crescer, e continuar se expandido, com base na mais impiedosa exploração de países por outros países, de povos por outros povos, de homens por outros homens, indefinidamente.           


Toda vez que o Capitalismo se sente ameaçado - já lembramos isso outras vezes aqui - ele abre a porta do canil e sai para passear com o Fascismo.


É preciso esmagar os vermes quando os ovos eclodem, para não ter que decepar, depois, uma a uma, as cabeças de seus exércitos de serpentes, como ocorreu na Primeira e na Segunda grandes guerras, ao custo de milhões de vítimas, civis e militares, nos campos de concentração e de extermínio, e também nos campos de batalha.  

17 comentários:

Anônimo disse...

Sr Santayana,

"Não se pode tentar salvar o planeta sem antes ajudar a mamãe lavar os pratos."

Esta estória das esquerdas que "alguem tem que fazer algo" nunca funcionou.

Sómente ações individuais e bons exemplos levam a algo. Porque o senhor e os que pensam como o senhor, não anunciam que podem acolher uma família de refugiados na sua própria casa. Na sua casa de campo daria para mais duas famílias? E na sua de praia? Mais duas? Puxa, veja, o senhor poderia alojar talvez cinco famílias num piscar de olhos.

Agora, imagine-se numa pequena ilha grega com 5 mil habitantes. E mais vinte mil refugiados...O senhor seria o primeiro a chamar as "forças da ordem" para expulsar violentamente o pessoal - afinal, "não é a praia deles", não?

DAISI disse...

MUITO BOM O TEXTO E ESTARRECEDOR.

Pita Araújo disse...

A visão clara de quem viu e viveu a história é insubstituível como farol para a espécie humana. Mais uma vez obrigado pela visão clara.

Mauro Santayana disse...

Não, senhor anônimo, não. Não tenho casa de campo nem de praia. M<as já hospedei, por solidariedade, tanta gente na minha casa, que meu endereço no exílio, na Alemanha, durante a ditadura, era conhecido como "Hotel Santayana".

Mauro Santayana disse...

O meu jeito de "ajudar mamãe a lavar os pratos" é escrevendo, o que eu faço há mais de 50 anos, e escrevendo para que as pessoas leiam, reflitam e eventualmente mudem o que estão fazendo. Outro texto meu sobre o mesmo tema, chamado O PATO E A GALINHA, escrito na semana passada, já foi traduzido para o inglês e publicado, nos EUA, em um site ligado ao Partido Republicano: http://watchingamerica.com/WA/2015/09/08/the-duck-and-the-chicken/

Anjjos disse...

O texto corrobora que o sistema capitalista vive através da exploração.

Realmente é um sistema que é baseado em valores moralmente reprovados e que estão descasados com a compaixão e solidariedade, por isso é tão importante incentivar os valores individuais, de superioridade, etc, como aconteceu no tempo do fascismo na Alemanha e Itália.

"Está claro, hoje em dia, que o ´fascismo´ não é obra de um Hitler ou de um Mussolini, mas sim a expressão da estrutura irracional do homem da massa." (In: Psicologia de Massas do Fascismo, Wilhelm Reich - Editora Martins Fonte, São Paulo, 2001).

Para o autor, o fascismo é a expressão da estrutura irracional do caráter do homem médio, cujas necessidades biológicas e primárias e cujos impulsos são reprimidos há milênios. O autor analisa cuidadosamente a função social dessa opressão e o papel decisivo que a família autoritária e a igreja desempenham.

Muito obrigado e tenha vida longa

Clovis Pacheco F. disse...

Caro confrade Mauro, é sempre triste termos que responder a imbecis como esse anônimo, que nem se identifica na esfera virtual, e vem com a xaropada de sempre. Parabéns, texto perfeito, de quem tem mais de 50 anos de atuação jornalística, e mais ainda, de gerente da Pensão Santayana!

eduardo Gaignoux disse...

Parabéns, mais uma vez brilhante!

Reinaldo Galamba disse...

Caríssimo sr.Mário! Parabéns pelo texto maravilhoso e muitíssimo esclarecedor. Muito obrigado. Homens como o. Senhor é que fazem a diferença diante de uma realidade caótica e absurda
Muito obrigado

Reinaldo Galamba disse...

Caríssimo sr.Mário! Parabéns pelo texto maravilhoso e muitíssimo esclarecedor. Muito obrigado. Homens como o. Senhor é que fazem a diferença diante de uma realidade caótica e absurda
Muito obrigado

Tânia disse...

Caríssimo Santayana,
Eu o leio há mais de 50 anos e você ainda consegue me surpreender.
Obrigada, muito obrigada.

Anônimo disse...

Temos nas nossas mãos a solução para povoarmos a Amazonia e o Centro Oeste!!! Que nos mandem estes milhoes de sirios. Mão de obra barata para cana de açucar (isto se eles largarem os iphones e tablets por alguns minutos!)

Ailton Candeia de lima disse...

Dr.Mauro Santayana, parabéns por mais um artigo fenomenal. Mais uma pisa naqueles que querem dominar o mundo através da chibata.

Lucas Parente disse...

Amigo Santayana,

Não dê ouvidos aos rosnados de ódio de uma pessoa estúpida que sequer tem a coragem de se identificar.

Os seus textos são inspiradores. São verdadeiros refúgios de lucidez nesse momento tão nebuloso. E transbordam humanidade nesse momento tão animalesco.

Expresso a vc a minha solidariedade. E deixo os meus agradecimentos por compartilhar conosco os seus escritos tão valiosos.

Forte abraço e sigamos lutando.

José Rui de Souza disse...

Pobre anônimo valente e tolo.

José Rui de Souza disse...

E bem provável que Santayana não publique o texto anterior e está certo. Não deve dar campo para bate bocas abaixo de um texto esclarecedor. Siga em frente mestre Mário.

strunfim disse...

Muito bom, como sempre excelente. Perfeito. Compartilhando.