31 de out de 2015

APESAR DA LAVA-A-JATO, ODEBRECHT VENCE LICITAÇÃO PARA O METRÔ DE QUITO, SEM UM TOSTÃO DE FINANCIAMENTO NACIONAL.





(Jornal do Brasil) - Contrariando a tese da Operação Lava-a-Jato, da qual emana o discurso de que houve um conluio para a “criminosa” obtenção de obras para empresas nacionais de engenharia no exterior, com o “criminoso” financiamento do BNDES, para a “criminosa” geração de milhares de empregos, dentro do Brasil, em milhares de “criminosas” pequenas e médias empresas e fornecedores, para a “criminosa” exportação de serviços e produtos, para “criminosas” obras no exterior, como o “criminoso” Porto de Mariel, em Cuba – que os hitlernautas não perdoam a uma das maiores empresas do país – mesmo com o seu principal executivo, preso, há quatro meses, e ameaçado de permanecer indefinidamente na cadeia, a Organização Odebrecht acaba de vencer, em parceria equitativa com a espanhola Acciona, o edital de licitação de construção do “bolivariano” metrô de Quito, no Equador, sem a necessidade de nem um centavo de financiamento de bancos privados ou governamentais brasileiros.

Como já mostramos em longo texto neste ano, que desmente a tese de “comunistização” da Odebrecht, ou de sua dependência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social A Odebrecht e o BNDES o Brasil financia menos de 10% de sua carteira de contratos, em todo o mundo; e a Odebrecht, longe de ser “bolivariana” está fortemente implantada em Miami e nos EUA, o país – ao menos em tese - mais capitalista do mundo.

Isso faz dela, no lugar de uma empresa dependente do governo brasileiro, ou de “consultorias” do PT, ou de ex-presidentes da República, uma organização cada vez mais global, que tenderá a se afastar, também, cada vez mais do país que lhe deu origem, diante do clima de terror absurdo, kafkiano, imposto por uma Justiça e um Ministério Público, algumas vezes inexperientes – e outras vezes com “experiência” demais - messiânicos e seletivos, que se transformaram na matriz midiática de um novo Plano Cohen, marcado pela contaminação de vastas parcelas da sociedade pelo ódio ideológico, o preconceito, a virulência, a discriminação, pelo vira-latismo antinacional, a desqualificação e o vilipêndio de tudo o que for brasileiro, como ocorre também, por exemplo, com a Petrobras.

A intenção de desmontar e de desnacionalizar a engenharia brasileira, claramente espelhada em alguns aspectos da Operação Mani Pulite, que serve tanto de biombo, quanto de inspiração à Operação Lava-a-Jato, e pelas incursões do Ministro Levy pelo tema, defendendo a entrada de empresas estrangeiras de engenharia no Brasil sem nenhum tipo de restrição ou reciprocidade por parte de seus países de origem; a paralisação de dezenas de projetos e a eliminação de milhares de vagas, com a quebra de dezenas de pequenas e médias empresas, sob o pretexto de um combate à corrupção que no final resultará no parto de um rato, na hora de se computarem as somas A Petrobras e o Domínio do Boato efetivamente e inequivocamente, comprovadamente,  aritmeticamente encontradas, de desvios, preto no branco - não valem multas subjetivas ou quantias fantasiosas que saem da boca de delegados e procuradores e de uma mídia em grande parte comprometida em alimentar essa campanha - terão, como seu resultado, absurdo e paradoxal, o fim da engenharia brasileira em território nacional.

Mas nossas grandes empresas continuarão – mesmo depois de deixar um país contaminado pelo ódio e pela ignorância – a trabalhar e a vencer no exterior.    


Esse é o caso, emblemático, da Odebrecht - e do seu presidente, que vem resistindo à pressão para não se curvar ao que considera uma gigantesca farsa - uma empresa avançada, respeitada e vitoriosa lá fora, que gera dezenas de milhares de empregos e bilhões de dólares em negócios em vários países do mundo, mas que está sendo tratada, neste momento, como um bando de empesteados e de marginais, por parte de alguns segmentos da justiça, e pela camada mais manipulada, ignorante e rançosa, da opinião pública nacional.

5 comentários:

José Ricardo Nascimento disse...

Brilhante. Como sempre!

Felipe Vargas Zillig disse...

A empresa sete engenharia e' outro caso o qual a misteriosa lava jato e a versao branca , jovem e subalterna de joaquim barbosa trata de maneira na qual a Patria e' a grande punida e as concorrentes internacionais , empregos no exterior e desenvolvimento economico de outros paises os beneficiados
Com um PRONATEC e ENEM em marcha firma na educaçao de empresarios e trabalhadores , com um belo portifolio de grandes obras a serem feitas as quais treinarao e empoderarao estas classes , sendo a formaçao do parque enpresarial e industrial o objetivo , com isto resolvendo importações , tecnologia , emprego e renda , vermos as sentenças de moro cia desmontarem um dos pilares economicos do Plano de Naçao Progressista e' algo entre estranho , criminoso ou planejado
Com a taxa de juros de 14 a qual impede a construçao e investimento com o atual parque empresarial sendo desmontado e compras transferidas para o exterior e' obvio que quando houver novo aumento de renda os mesmos problemas de importaçao e inflaçao voltarão e o atual plano economico simplesmente terá servido para transferir renda ao capitali internacional , desnacio alizar o parque industrial , aumentar o desenprego e dependência de investimentos externos
dilma foi avisada , ensinada sobre os maleficios do neoliberalismo e da receita recessiva do fmi , milita em um partido de esquerda e determina e mantem este ameaçador e lesa Patria , se alia a obama e valida o trilhao frio emitido pelos eua , os quais compram industrias , recebem juros nao civilizados ou legitimos , tira a velocidade e pressão que os BRICS fazem sobre os eua sobre genocídio na invasao do Iraque e a pressao sobre o dolar , se alistando na cia e se tornando uma traidora da Patria
O anuncio de Temer principalmente antecipando a Naçao o principio ideologico Nacional Desenvolvimentista traz um pouco de tranquilidade a uma Nação tensa e armada para defender sua Soberania e a Humanidade , clarea o futuro nacional , nos reaproxima dos BRICS , da Etica e da Solidariedade , ficando a se definir a data da saida de dilma
A sete engenharia fale com a corrupção e divisao de obras entre militantes do pt , psdb , etc , porem o criatorio e nascedouro de empresas na cadeia produtiva do Pre Sal continua um principio valido até que tenhamos a leva de empresarios com a qualidade necessário , numero e tamanho de empresas adequado no setor espraindo esta modelagem e crescimento até o cenário industrial adequado
dilma , moro , recessao do fmi , acordos sobre Amazonia com obama , tentativa de roubo ou intromissao em assuntos nucleares passam a serem pautas e incumbencias do Judiciario Reformado e do esperado SNS em uma modelagem seculo XXI
Saudacoes Patrioticas



Felipe Vargas Zillig disse...

A esta carteira de obras e producao nacional se juntaria o grande novo canteiro mundial de obras o qual chamamos BRICS e Aliados ou Unidade Mundial
Desta vez com lucros valorados em nivel de emprego , renda mínima , tecnologia , inclusao social e profissional , etica , solidariedade e Suntentabilidade Mundial
Estes seriam os pontos prioritarios ou adequados ou ótimos a serem alcançados , a nao aceitacao do dolar na Russia , a criação da moeda internacional Chinesa , o anuncio do Plano Economico PMDB no Brasil e as ideologias destas lideranças tornam mais que possivel o cenario Progressista ser realizado

O

Mauro Santayana disse...

Amigos, lembramos que o blog não está mais aceitando comentários anônimos.

Sergio Caldieri disse...

Sempre brilhante o nosso mestre do verdadeiro jornalismo da imprensa brasileira.