27 de jun de 2012

A QUEBRA DA ESPANHA E O RISCO SANTANDER (2)



A Moody´s, depois de haver rebaixado a nota da dívida soberana da Espanha a um grau do que a própria imprensa econômica espanhola classifica como “lixo”, não pretende aliviar a situação dos bancos do país.

A agência mal esperou a oficialização do pedido de Madrid de resgate de seu sistema bancário no valor de 100 bilhões de euros, para cortar de novo a qualificação de risco dos depósitos e da dívida de longo prazo de 28 bancos espanhóis, entre eles o Santander.

O grupo, que é dono no Brasil de instituição financeira com o mesmo nome, teve a nota de sua dívida rebaixada de A3 para Baa2, com perspectiva de novo corte em breve, devido à sua grande exposição à dívida soberana da Espanha, cujo risco passou de 500 pontos nas últimas semanas.

Enquanto isso, o dono do Santander, Emilio Botin, que aqui entrou, nos anos 1990, com a compra do BANESPA, negou ontem, novamente, que esteja tentando vender ao BB ou ao Bradesco a filial brasileira do banco, embora já tenha feito o mesmo, nas últimas semanas, com o Santander Colômbia.

Na Espanha, na internet, já tem gente denunciando que os ricos estão sacando o dinheiro dos bancos (inclusive do próprio Santander) e mandando para o exterior - e outros que estão aconselhando o resto dos cidadãos a fazer o mesmo:


http://stopsecrets.ning.com/profiles/blogs/robos-santander-y-saqueos-bbva-en-quiebra

http://desgobierno.wordpress.com/2012/05/31/el-santander-y-el-bbva-al-borde-del-abismo/#more-329

http://contraperiodismomatrix.com/?p=1122

http://www.alertadigital.com/2012/05/29/santander-%C2%BFel-siguiente-banco-en-caer/


Este texto foi publicado também nos seguintes sites:

http://gilsonsampaio.blogspot.com.br/2012/06/quebra-da-espanha-e-o-risco-santander-2.html

http://luizfelipemuniz.blogspot.com.br/2012/06/eurocopa-financeira.html

http://chebolas.blogspot.com.br/2012/06/quebra-da-espanha-e-o-risco-santander-2.html

http://valdecybeserra.blogspot.com.br/2012/06/quebra-da-espanha-e-o-risco-santander-2.html


2 comentários:

Anônimo disse...

Voce acredita que o Santander vai ser vendido ? Ou ira a falencia em pouco tempo ?

Anônimo disse...

Essa é a situação do Santander no Brasil:

A ROTINA DE UM BANCO ESPANHOL NO BRASIL:
.
.
Santander deve pagar R$ 2 milhões de indenização por discriminar empregados portadores de Ler/Dort
(http://www.trt4.jus.br/portal/portal/trt4/comunicacao/noticia/info/NoticiaWindow?cod=674805&action=2)
.
.
Santander é condenado a pagar R$ 1,4 mi por não recolhimento de ISS
(http://www.contrafcut.org.br/noticias.asp?CodNoticia=32349)
.
.
Santander pagará R$1 milhão por jornada excessiva
O Banco Santander foi condenado pela Justiça ao pagamento de R$ 1 milhão por danos morais coletivos, devido à sobrecarga na jornada de trabalho dos bancários.
A decisão atende ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho no Paraná.
(http://portal.mpt.gov.br/wps/portal/portal_do_mpt/comunicacao/noticias/conteudo_noticia/!ut/p/c4/04_SB8K8xLLM9MSSzPy8xBz9CP0os3hH92BPJydDRwN_E3cjA88QU1N3L7OgMC93I_2CbEdFAAovLRY!/?WCM_GLOBAL_CONTEXT=/wps/wcm/connect/mpt/portal+do+mpt/comunicacao/noticias/santander+pagara+rs+1+milhao+por+jornada+excessiva)
.
.
Santander terá de pagar R$ 100 mil por mandar funcionária “rodar bolsinha”
A empregada informou que foi dispensada sem justa causa, após trabalhar 20 anos na empresa
SÃO PAULO – O Banco Santander S/A foi condenado a pagar R$ 100 mil de indenização por dano moral a uma empregada gaúcha que foi assediada moralmente pelos supervisores, ao lhe cobrar metas excessivas, usando palavras e expressões constrangedoras e humilhantes.
A decisão foi arbitrada pela 7ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho.
Na reclamação, ajuizada em 2010, a empregada informou que foi dispensada sem justa causa, após trabalhar 20 anos na empresa.
Ainda afirmou que foi muito pressionada e humilhada nos últimos cinco anos em que trabalhava, quando exerceu a função de gerente da agência.
A bancária disse que as tarefas eram orientadas mediante metas a serem atingidas e determinadas pelo banco e que seus superiores exigiam o cumprimento delas, sob pena de demissão “nem que fosse necessário rodar a bolsinha na esquina”, declarou em depoimento.
Reconhecendo o assédio dos gestores do banco, o juízo condenou a empresa a pagar indenização por dano moral, no valor de R$ 300 mil.
O Tribunal Regional confirmou o assédio, mas reduziu o valor da indenização para R$ 20 mil.
Inconformada, a empregada recorreu ao TST, argumentando que se tratava de “ofensa gravíssima, com comprovados danos de ordem psicológica e e culpa do empregador” e que a redução da indenização correspondia a mais de 90% do valor avaliado em primeira instância.
Correção do valor
Ao examinar o recurso na 7ª Turma, a relatora ministra Delaíde Miranda Arantes aumentou a indenização para R$ 100 mil, de acordo com a gravidade do dano.
“Há nesta Corte inúmeros precedentes envolvendo casos similares, em que foi caracterizado o assédio moral decorrente do abuso do poder diretivo, alguns deles envolvendo prática de situações vexatórias e humilhantes, além de pressão para o cumprimento de metas”, destacou a relatora.
(http://www.infomoney.com.br/carreira/emprego/noticia/2622664/santander-tera-pagar-100-mil-por-mandar-funcionaria-rodar-bolsinha)