24 de mai de 2013

RÚSSIA GARANTE AO BRASIL TRANSFERÊNCIA TOTAL DA TECNOLOGIA DO CAÇA SUKHOI SU-35



A agência RIA Novosti informa, citando declarações de Seguei Ladygin, representante da estatal russa de armamento Rosobonexport, dadas ontem na SITDEF 2013, exposição de armas que está sendo realizada em Lima, no Perú, que a Rússia teria comunicado ao governo federal que estaria disposta a transferir ao Brasil, sem restrições, cem por cento  da tecnologia  de fabricação dos caças Sukhoi SU-35, de quinta geração, e dos sistemas anti-aéreos Pantzir, independente da conclusão da licitação do Programa FX-2, de compra de caças pela aeronáutica.

O Sukhoi Su-35 pertence a uma classe caças de ataque e superioridade aérea pesados, de longo alcance e multi-função. Com autonomia de 3.600 a 4.600 quilômetros (com tanques externos) e velocidade de 2.700 quilômetros por hora, ele pode atingir rapidamente qualquer região do território nacional.

É equipado com uma variedade melhorada de óptica passiva do sistema de radar N035 Irbis, e com  um radar de retaguarda adicional montado no seu aguilhão da cauda encurtada. Conta também com um radar N035 melhorado com pico mais poderoso e melhores características ECM e com um sistema de guerra eletrônica e auto-contramedidas de defesa eletrônica Khibiny L175M. O cockpit conta com duas telas de LCD e compatibilidade com HMD. O software do Su-35BM tem acrescentada compatibilidade com novos sistemas de armas e outros  aviônicos que incluem informações de longo alcance de alvos e datalink com capacidade de resistência à JAM, além de um sistema de reconhecimento eletrônico.

Este texto foi publicado também nos seguintes sites:


  

6 comentários:

Artur da Costa Gomes disse...

Prezado Santayana,

Transcrevo aqui, comentário feito por mim no blog de Eduardo Guimarães, a respeito do assunto FX-2. Citarei em aspas o comentário e, ao final, farei novas considerações.

Abraço cordial

Artur da Costa Gomes
Cap Av - 1º GDA

"Nesse assunto dos caças, assistimos a um festival de ‘especialistas’ em aviões de combate, a começar pela senhora Eliane Cantanhêde, emitindo verdadeiros disparates. A bem da verdade factual, faz-se necessário alguns esclarecimentos técnicos fora da discussão ideológica que se trava sobre o assunto:
Dos cinco concorrentes iniciais: F-18 Super Hornet, Gripen NG, Sukhoi Su-35 Super Flanker, Rafale F3 e o Eurofighter Typhoon, cabe uma avaliação preliminar:
1) O Sukhoi Su-35 Super Flanker, o preferido pela maioria maciça dos pilotos da FAB, tem, como vantagens: maior potência (2 turbinas Lyulka, com 142 kN cada), maior autonomia de vôo (4.600 km), além do famoso sistema de exaustão vetorial (efeito mais pirotécnico, na verdade), que o transforma num brinquedo de luxo, gostoso de operar;
2) F-18 Super Hornet, o segundo na preferência dos pilotos: apesar da potência e autonomia de vôo menores que o Sukhoi, testado efetivamente em combate, além da confiança das turbinas GE;
3) Rafale, similar ao F-18 em potência e autonomia de vôo, talvez lhe falte o batismo em combate e as turbinas Snecma sejam ainda uma incógnita a campo;
4) O Eurofigther Typhoon, levemente inferior ao Super Hornet e ao Rafale, com alguma vantagem adicionada na aviônica;
5) Gripen NG, em sua concepção de guardião de países com pequena extensão, comuns na Europa, um bom caça, embora a versão NG não passe ainda de prospecto.
Bom, como na hora de decidir, entram em cena várias condicionantes:
__ O Sukhoi, tecnicamente o melhor, foi preterido menos em função de dificuldades na logística e no treinamento dos pilotos, e mais em função de pressões geopolíticas dos americanos;
__ O Super Hornet, embora tecnicamente um excelente caça, viria com o sistema middle-packet (desarmado e sem TT*);
__O Typhoon e o Gripen, por conterem grande parte de armamentos e propulsores americanos, contrariam o princípio FX, da não-dependência alienígena, foram descartados, tendo o Gripen o agravante de ser monopropelido;
__ Restou o Rafale, um bom caça, ainda que inferior ao Su-35 e ao F-18, pois viria no sistema full-packet e TT * plena.
Enfim, a opção possível, no meio desse emaranhado de lobbies e pressões políticas de todos os lados…"

O Su-35, considerado um caça de 4,5ª gerção é uma excelente aeronave, embora eu duvide que o governo irá peitar o lobby norte-americano e comprá-lo. Faltou dizer que melhor opção seria o Brasil adquirir qualquer dos caças como solução temporária, e ao mesmo tempo aderir ao protocolo russo/indiano do PAK FA T-50, um caça de 5ª geração, o qual já existem dois protótipos voando. O PAK FA, esse sim, seria o estado da arte em aviação de caça...E segue a novela FX...

Mauro Santayana disse...

Um abraço, e obrigado pelas informações, capitão. Superado o lobby americano, e com transferência de tecnologia asegurada pela Rússia, creio que se poderia considerar o SU-35, mesmo fora do FX-2. Mas concordo plenamente que, estrategicamente, o importante é assegurar presença no programa do PAK FA T-50, mesmo que entremos atrasados no processo. Afinal, se os indianos podem resistir à pressão norte-americana, por que nós não podemos?

Adriano Alves disse...

Olá,

os russos saíram da programa porque haviam se negado a transferir tecnologia, agora se arrependeram.

O problema é que agora é tarde demais...ao que tudo indica vamos mesmo de Rafale ou de F-16 dos estoques da USAF.

Gostaria de compartilhar esse link com um artigo sobre o Su-35 com imagens do avião em miniatura.
http://www.maquinasdecombate.com.br/2013/05/sukhoi-su-35-super-flanker.html

Abraço.

Probus disse...

Só lembrando: O caça Sukhoi SU-35 não é de Quinta Geração, ele possui Tecnologia de Quinta Geração, mas, não é de 5ªG, é um caça 4ªG++. Só o T-50 Pak-Fa é considerado de 5ª.

Independente do caça, ele tem que ser BRICS, Rússia ou China, não podemos ficar dependente de caças da OTAN.

O sistema PANTSIR é especialista em dissuadir caças OTAN.

Anônimo disse...

Esse comentário desse "suposto" Artur da Costa Gomes, Cap Av - 1º GDA, é muuuito estranho. O avião escolhido pela COPAC/ da FAB foi o F-18, o SU-35 foi eliminado na primeira rodada. Desnecessário dizer que qualquer avião russo será um pesadelo de logística. Nós somos ocidentais, nossa doutrina de combate e aviões sempre foram americanos, inclusive lembro que a FEB utilizou aviões americanos na WW2 obtendo sucesso estrondoso. Os franceses sempre mentiram em fazer ToT irrestrita, nossos mirages sempre voaram desdentados. Falar em T-50 é muuuuita desinformação e ingenuidade, os próprios russos disseram que só ficará operacional em 10 anos, enquanto isso o F35 já voa há anos nos EUA e tem encomendas sérias de diversos países de primeiro mundo. O F-22 tem mais de 10 anos de operação, os americanos estão anos-lus à frente dos concorrentes; o Rafale é escolha eminentemente política (e burra), será um atraso para a FAB, apenas o Gripen é interessante, mas infelizmente não é levado a sério, embora seja muito sério.

Probus disse...

Esse "anônimo" disse um bocado de bobagem...

Chama um Oficial da FAB como suposto e, não leva nem em consideração da pesquisa e postagem do consagrado jornalista Mauro Santayana.

Notei o carinho pela MÁFIA da COPAC e do Capo JUNITI SAITO pela BOEING...

Diz que o Super Flanker Sukhoi Su-35 foi eliminado na primeira rodada e, não diz porquê foi... aliás, nem o MAFIOSO JUNITI SAITO nunca expôs à público.

Fala que a Rússia tem um "pesadelo de logística" e não diz que a CHINA e a ÍNDIA (Potencias NUCLEARES) idolatram os Contratos Bélicos com a Rússia.

Fala que nós somos Ocidentais e não diz que a MAIOR AMEAÇA contra a SOBERANIA MUNDIAL é a OTAN liderada pelo Tio Sam piratão. Portanto, temos que adquirir equipamentos que contraponham a OTAN.

Diz que franceses mentem e não fala dos Mísseis EXOCET da Guerra das Malvinas e o envolvimento da BANDIDA da Beth II no caso...

Fala mal dos Mirages e não diz que eles são o que nós temos de melhor.

Diz que falar do T-50 é "muuuuita desinformação" mas não diz os inúmeros problemas do F-22 Raptor e do F-35... sem contar, o péssimo Custo/Benefício desses caças.

Diz que o T-50 só ficara operacional em 10 anos, quando o QUINTO Protótipo já voa.

Elogia a porcaria do F-35 e não di porquê a CHINA não se interessa por ele.

Fala que os piratas Norte-Americanos estão anos-lus (lus???) à frente dos concorrentes e não diz porquê os EUA não enfrentam a Rússia em CANTO NENHUM do MUNDO.

Fala que o Rafale é escolha política e burra e não diz porquê.

Elogia o Gripen e esquece que o Gripen NG não passa de um Caça de PAPEL, Monomotor e, que é o PIOR de TODOS.

Não é interessante, infeliz e sério??