27 de jul de 2014

A TRAGÉDIA PALESTINA E A VITÓRIA DOS “ANÕES DIPLOMÁTICOS” SOBRE OS ISRAELENSES NA ONU.


(Jornal do Brasil) - O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Israel, Yigal Palmor, deve estar achando o máximo ter sido repentinamente elevado, pela rançosa e entreguista direita latino-americana - como o Sr. Andrés Oppenheimer - à condição de “superstar”, depois de ter chamado o Brasil de “anão diplomático” e de ter nos lembrado, com a autoridade moral de um lagarto, que “desproporcional é perder de 7 x 1”, referindo-se à Copa do Mundo, e não, matar e ferir mais de 3.000 pessoas e desalojar quase 200.000, para “vingar” um número de vítimas civis que não chegam a cinco.

Com acesso a drones e a sofisticados satélites de vigilância norte-americanos, e a compra de espiões em território “controlado” pelo Hamas – traidores e mercenários existem em todos os lugares - Israel poderia, se quisesse, capturar ou eliminar, com facilidade, em poucos meses, os responsáveis pelo lançamento de foguetes contra seu território, assim como alega contar com eficaz escudo que o protege da maioria deles.

O governo de Telaviv - e o Mossad - não o faz porque não quer. Prefere transformar sua resposta em expedições punitivas não contra os responsáveis pelos projéteis, mas contra todo o povo palestino, matando e mutilando - como fizeram os nazistas com os próprios judeus na Segunda Guerra Mundial- milhares de pessoas, apenas pelo fato de serem palestinos.      

Essa atitude, no entanto, não impediria que surgissem novos militantes dispostos a encarar a morte, para continuar afirmando – pelo único meio que bélico lhes restou - que a resistência palestina continua viva.

Do meu ponto de vista, nesse contexto de cruel surrealismo e interminável violência do confronto, para chamar a atenção do mundo, os palestinos, principalmente os que não estão ligados a grupos de inspiração islâmica, deveriam não comprar mais pólvora, mas tecido.

Milhares e milhares de metros de pano listrado, como aqueles que eram fabricados por ordem do Konzentrationslager Inspetorate, e das SS, na Alemanha Nazista, para vestir entre outros, os prisioneiros judeus dos campos de extermínio.

Os milhões de palestinos que vivem na Cisjordânia e na Faixa de Gaza poderiam - como fez Ghandi na Índia - adotar a não violência, raspar as suas cabeças, as de suas mulheres e filhos, como raspadas foram as cabeças dos milhões de judeus que pereceram na Segunda Guerra Mundial, tatuar em seus braços, com números e caracteres hebraicos, a sua condição de prisioneiros do Estado de Israel, costurar, no peito de seus uniformes, o triângulo vermelho e as três faixas da bandeira palestina, para ser bombardeados ou morrer envoltos na mesma indumentária das milhões de vítimas que pereceram em lugares como Auschwitz, Treblinka e Birkenau.

Quem sabe, assim, eles poderiam assumir sua real condição de prisioneiros, que vivem cercados dentro de campos e de guetos, por tropas de um governo que não é o seu, e que, em última instância, controla totalmente o seu destino.

Quem sabe, despindo-se de suas vestimentas árabes, das barbas e bigodes de seus homens, dos véus e longos cabelos de  suas mulheres, despersonalizando-se, como os nazistas faziam com seus prisioneiros, anulando os últimos resquícios de sua individualidade, os palestinos não poderiam se aproximar mais dos judeus, mostrando-lhes, aos que estão do outro lado do muro e aos povos  do resto do mundo - com imagens semelhantes às do holocausto – que pertencem à mesma humanidade, que são, da mesma forma,  tão vulneráveis à doença, aos cassetetes, às balas, ao desespero, à tristeza e à fome, quanto aqueles que agora os estão bombardeando.

As razões da repentina e grosseira resposta israelense contra o Brasil - que ressaltou, desde o início, o direito de Israel a defender-se - devem ser buscadas não no “nanismo” diplomático brasileiro, mas no do próprio governo sionista.

É óbvio, como disse Yigal Palmor, que no esporte bretão 7 a 1 é um número desproporcional e acachapante.

Já no seu campo de trabalho - a diplomacia –como mostrou o resultado da votação do Conselho de Direitos Humanos da ONU, que aprovou, há três dias, a investigação das ações israelenses em Gaza, os “anões” diplomáticos - entre eles o Brasil, que também votou contra a posição israelense - ganharam por 29 a 1, com maioria de países do BRICS e latino-americanos. Só houve um voto a favor de Telaviv, justamente o dos EUA.

Concluindo, se Palmor – que parece falar em nome do governo israelense, já que até agora sequer foi admoestado - quiser exemplo matemático ainda mais contundente, bastaria  lembrar-lhe que, no covarde “esporte” de matar seres humanos indefesos – entre eles velhos, mulheres e crianças –  disputado pelo Hamas e a direita sionista israelense, seu governo está ganhando de goleada, desde o início da crise, pelo brutal - e desproporcional placar - de quase 300 vítimas palestinas para cada civil israelense.

Este texto foi publicado também nos seguintes sites:

http://carcara-ivab.blogspot.com.br/2014/07/uma-goleada-de-quase-300-1.html

http://forum.antinovaordemmundial.com/Topico-brasil-x-israrel-an%C3%A3o-ou-gigante?pid=176632

http://militanciaviva.blogspot.com.br/2014/07/a-tragedia-palestina-e-vitoria-dos.html

http://mariorangelgeografo.blogspot.com.br/2014/07/o-que-e-pior-7-x1-no-futebol-ou-29-x-1.html

http://007bondeblog.blogspot.com.br/2014/07/israel-mata-palestinos-e-se-assemelha.html

http://www.brasil247.com/pt/247/artigos/148150/A-trag%C3%A9dia-palestina-e-a-vit%C3%B3ria-dos-%E2%80%9Can%C3%B5es-diplom%C3%A1ticos%E2%80%9D-sobre-israelenses-na-ONU.htm

https://www.facebook.com/celia.m.fernandes.5/posts/597704207017533

https://www.facebook.com/claudio.pacheco.9615/posts/861754923852323

http://www.patrialatina.com.br/colunaconteudo.php?idprog=a4351b79d9ea3d842efa89fae5d02b24&cod=3323

http://www.opalheiro.com.br/a-tragedia-palestina-e-a-vitoria-dos-anoes-diplomaticos-sobre-os-israelenses-na-onu/

http://tribunadainternet.com.br/a-tragedia-palestina-e-a-vitoria-dos-anoes-diplomaticos-sobre-os-israelenses-na-onu/

http://www.conversaafiada.com.br/economia/2014/07/28/santayana-israel-perdeu-de-29-a-1/

http://sensoreconomicobrasil.blogspot.com.br/2014/07/anoes-diplomaticos-derrotam-israel.html

https://jcrnoticiasonline.wordpress.com/2014/07/29/a-crise-entre-israel-x-hamas-palestina-a-posicao-do-brasil-e-da-onu/

http://blogdoliberato.blogspot.com.br/2014/07/a-tragedia-palestina-e-vitoria-dos.html

https://www.facebook.com/mundoanimalpolitico/posts/306804512831099

http://blogoosfero.cc/blog-do-miro/blog/anoes-diplomaticos-derrotam-israel

http://mg1.com.br/plus/modulos/noticias/ler.php?cdnoticia=48265

http://adylsonmachado.blogspot.com.br/2014/07/entre-anoes.html

http://www.portalnovosrumos.com.br/noticias/2014/jul/30071424-anoes-diplomaticos-derrotam-israel.html

http://cidadedeminas.blogspot.com.br/2014/07/israel-no-covarde-esporte-de-matar.html

http://m1noticias.com.br/m1/php/view.php?not=16208

http://cascarpi.blogspot.com.br/2014/07/sobre-votacao-no-conselho-de-seguranca.html

http://contrapontopig.blogspot.com.br/2014/07/contraponto-14298-tragedia-palestina-e.html

https://groups.google.com/forum/#!topic/politicosamigos/NW_bxzXb1UE

http://www.viomundo.com.br/politica/santayana-sugere-palestinos-nao-violencia-pano-listrado.html

http://macariobatista.blogspot.com.br/2014/07/opiniao_28.html

http://leopoldotristao.blogspot.com.br/2014/07/a-tragedia-palestina-e-vitoria-dos.html

http://nogueirajr.blogspot.com.br/2014/07/a-tragedia-palestina-e-vitoria-dos.html

http://www.tabiranoticias.com.br/2014/07/santayana-israel-perdeu-de-29-1.html

http://gilsonsampaio.blogspot.com.br/2014/07/tragedia-palestina-e-vitoria-dos.html

http://chebolas.blogspot.com.br/2014/07/a-tragedia-palestina-e-vitoria-dos.html

http://lotusegipcio.blogspot.com.br/2014/07/santayana-israel-perdeu-de-29-1.html

http://adylsonmachado.blogspot.com.br/2014_07_01_archive.html

https://professordesiderio.wordpress.com/2014/07/28/tragedia-palestina-e-a-vitoria-dos-anoes-diplomaticos-sobre-israel-na-onu/

http://pregopontocom.blogspot.com.br/2014/07/tragedia-palestina-e-vitoria-dos-anoes.html

https://br.groups.yahoo.com/neo/groups/3setor/conversations/topics/134195

http://blogdojoseattico.blogspot.com.br/2014/07/tragedia-palestina-e-vitoria-dos-anoes.html

http://blogblogs.com/#!/landingPage/2656503


          

8 comentários:

Euler disse...

Parabéns por mais este ótimo e esclarecedor texto, prezado jornalista Mauro Santayana.

Para quem se interessar, indico um documentário que nos ajuda a entender um pouco a história do conflito e do massacre em Gaza:

https://www.youtube.com/watch?v=3jNYlUj2gMU

Luiz Carlos disse...

Prezado Jornalista,
Quero expressar aqui o meu mais sincero e integral apoio a opinião do Jornalista, emitida aqui, de forma contundente e totalmente condizente com a realidade vivida pelo Povo Palestino. Mauro, gostaria se acrescentar, que todos nós que apoiamos a Causa Palestina, deveríamos usar uma braçadeira que nos identificasse como amigos do Povo Palestino e da sua causa, como Prisioneiros de Consciência.
Abraço

Judson Clayton Maciel disse...

Mauro Santayana mostra mais uma vez porque é simplesmente o melhor jornalista de política do Brasil em atividade. Parabéns por mais esta aula!

Forte abraço,
Judson Clayton Maciel

Anônimo disse...

I was able to find good information from your blog posts.


Feel free to surf to my weblog :: beechbumm.com

Mauro Santayana disse...

Obrigado, amigos !

Solange Lopes disse...

Muito bom o texto, é com vergonha e indignacao do mundo nos dias de hoje permitir tais atrocidades, quem se indgina com tal governo deveria expressar de ququer forma tal revolta, talve a ideia do leitor acima "Luiz Carlos"seja valida... basta deste conloio entre Israel e USA, e impondo sancoes a Russia que comparado com Israel tem sido "fichinha" suas acoes com a Ukrania, e que na verdade por merecida...

Adriano disse...

Mauro, veja este "sniper" israelense que acaba de confessar ter assassinado treze crianças:

http://www.presstv.com/detail/2014/07/31/373518/israeli-sniper-admits-killing-13-kids/

https://www.google.com.br/search?q=david+ovadia+sniper

Anônimo disse...

Antisemitismo primario brotando por todos os poros. E nada mais.