3 de mar de 2016

ENQUANTO OTÁRIOS TORCEM POR ELA, MALANDROS DEITAM E ROLAM COM A CRISE.







Em “notinhas”, jogadas aqui e ali na imprensa, tem gente no “mercado” que atribui a queda do dólar ao menor patamar deste início de ano, não a situações concretas, como o superávit de mais de 3 bilhões de dólares alcançado pelo país em fevereiro, mas a declarações de delatores “premiados”, que estariam “facilitando” as chances de impeachment do atual governo.   
   
Trata-se apenas de conversa fiada e de mais um aspecto de um clima permanente, rasteiro, de especulação safada e de reles boataria, que une otários que falam mal do país a bem-sucedidos malandros que os usam todos os dias e se aproveitam deles. 

Enquanto a maior parte da economia real, como o comércio, a construção civil e a indústria, sofre com a campanha de “crise” e pela crise, de “quanto pior, melhor”, promovida em parte por milhares de imbecis que também são afetados, mas torcem abertamente contra o país nos bares e redes sociais, muitos espertos estão fazendo  verdadeiras fortunas, ajudando a montar e disseminar boatos e mentiras para aproveitar-se do vaivém da bolsa e dos juros e do sobe e desce das principais divisas.


3 comentários:

Marili de Souza disse...


Pior ainda, Mauro, é uma empresa de comunicações como a Globo engolir essa e anunciar no seu principal "jornal" que ontem a queda do dólar e a melhora da bolsa foi graças à maior possibilidade de a crise derrubar o Governo Dilma. Seria simplismo demais se não tivesse outro nome. Se eu tivesse dinheiro o bastante, comprava uma grande lona e jogava sobre os prédios da empresa na rua Jardim Botânico.

Alfred disse...

Por que vc se esconde atrás de frases com sujeitos ocultos? Se é tão bom, se sabe tanto assim, dê nomes aos bois.

continjf@hotmail.com disse...

Prezado Senhor,
Há muito tempo eu não lia os seus comentários e, acreditava que os resultados dos programas político e econômico a serem aplicados pelo PT quando no governo, fariam o senhor deixar de defende-los. No entanto, vejo que o senhor já os conhecia e, assim como eles, só quer que sejam mantidos no poder.
Concluí agora que o seu artigo que li no antigo e extinto Jornal da Tarde "A Liberdade" era só uma forma de enganar.
Como dizia Gabriel Garcia Marques, comunista confesso e amigo de Fidel Castro: "A literatura é a forma mais fácil de enganar"
Saudações,
Jfcontin