30 de jul de 2012

UMA DESFEITA AO BRASIL


(HD) - A senhora Marina Silva é um caso típico de como as virtudes enganam. Ela surgiu na vida pública brasileira como a pobre menina da floresta, que se torna ativa militante da causa ambiental, entra para a política ainda muito jovem, dentro do PT; é eleita senadora pelo Acre; torna-se Ministra, e chega a candidatar-se, sem êxito, à Presidência da República. Trata-se de uma biografia virtuosa. Marina é militante de uma causa vista como nobre, a da defesa da natureza. Mas não se pode dizer, com o mesmo reconhecimento, de que se trata de uma boa brasileira. Marina é hoje, e é preciso dizer, uma patriota do mundo. Nenhum brasileiro, vivo ou morto, foi tão homenageado pelos mais poderosos governos estrangeiros e organizações não governamentais do que esta senhora, ainda relativamente jovem.

Ela, ao militar pela natureza universal, não tem servido realmente ao Brasil e à sua soberania. O Brasil, com o apoio, direto ou indireto, da senhora Silva, tem sido acusado de destruir a natureza. Quando seu companheiro de idéias, Chico Mendes, foi assassinado em Xapuri, o New York Times chegou a dizer que o mundo iria respirar pior, a partir de então. A tese do jornal, já desmentida pela ciência não engajada, era a de que a Amazônia é o pulmão do mundo. Assim, a cada árvore abatida, menos oxigênio estaria disponível para os seres vivos.

Marina Silva transita à vontade pelos salões da aristocracia européia e norte-americana. É homenageada, com freqüência, pelas grandes ongs, como a WWF, que contava, até há pouco, com o caçador de ursos e de elefantes, o Rei Juan Carlos, da Espanha, como uma de suas principais personalidades. Na melhor das hipóteses, a senhora Marina Silva é ingênua, inocente útil, o que é comum nas manobras políticas internacionais. Na outra hipótese, ela sabe que está sendo usada para enfraquecer a posição da nação quanto à defesa de sua prerrogativa de exercer plenamente a soberania sobre o nosso território.

Ainda agora, a ex-candidata a Presidente acaba de ser homenageada pelos organizadores londrinos dos Jogos Olímpicos, como convidada de destaque, ao lado de outras personalidades mundiais, a maioria delas diretamente ligadas às atividades esportivas, o que não é o seu caso. Para quem conhece os códigos da linguagem diplomática, tratou-se de uma desfeita ao Brasil, como país soberano, e, de forma bem clara, à Presidente Dilma Roussef. Dilma, com elegância, declarou-se feliz pela homenagem à sua adversária nas eleições presidenciais de 2010, e que permanece militando na oposição ao atual governo. A Chefe de Estado, que ali representava a nação inteira, e não ongs interessadas em retardar o desenvolvimento autônomo do Brasil, não assinou recibo pela aleivosia de uma Inglaterra decadente, contra um Brasil que cresce no respeito do mundo.


Este texto foi publicado também nos seguintes sites:


http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=189956&id_secao=10

http://contextolivre.blogspot.com.br/2012/07/uma-desfeita-ao-brasil.html

http://esquerdopata.blogspot.com.br/2012/08/uma-desfeita-ao-brasil.html

http://blogdeumsem-mdia.blogspot.com.br/2012/08/olimpiadas-marina-silva.html?m=1

http://oblogdoabelha.blogspot.com.br/2012/07/307-mauro-santayana-nao-deixe-de-ler.html

http://muitapazpravoce.blogspot.com.br/2012/07/mauro-santayana-marina-silva-e-desfeita.html

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2012/08/marina-silva-e-desfeita-ao-brasil.html

http://www.planetaosasco.com/oeste/index.php?/2012080541181/Coluna-politica/marina-silva-e-a-desfeita-ao-brasil.html

http://brasilmostraatuacara.blogspot.com.br/2012/08/mauro-santayana-arrasa-com-emissaria.html

http://chebolas.blogspot.com.br/2012/07/uma-desfeita-ao-brasil-senhora-marina.html

http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20120804020346AAzPwLX

http://www.jornalvanguarda.com.br/v2/?pagina=noticias&id=11354

http://midiacrucis.wordpress.com/2012/07/31/uma-desfeita-ao-brasil/

http://minutonoticias.com.br/uma-desfeita-ao-brasil

http://iranews.com.br/noticias.php?codnoticia=8628

http://pacrj.blogspot.com.br/2012/08/mauro-santayana-marina-silva-e-desfeita.html

http://nailharga.blogspot.com.br/2012/08/uma-desfeita-ao-brasil.html

http://ericksilveira.blogspot.com.br/2012/07/uma-desfeita-ao-brasil.html

http://escreverenquantoviver.blogspot.com.br/2012/07/uma-desfeita-ao-brasil.html

http://saraiva13.blogspot.com.br/2012/07/uma-desfeita-ao-brasil.html

http://correiodobrasil.com.br/marina-silva-e-a-desfeita-ao-brasil/496330/

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e&cod=10084

http://ajusticeiradeesquerda.blogspot.com.br/2012/08/uma-desfeita-ao-brasil.html

http://pscandiru.blogspot.com.br/2012/08/marina-silva-e-desfeita-ao-brasil.html

http://luizfelipemuniz.blogspot.com.br/2012/07/marina-silva-nas-olimpiadas.html

http://coletivocamaradas.blogspot.com.br/2012/08/mauro-santayana-marina-silva-e-desfeita.html

http://correiodobrasil.com.br/uma-desfeita-ao-brasil/496329/

http://fichacorrida.wordpress.com/2012/07/31/a-marina-de-natural-s-a-cara-de-pau/

http://softwarelivre.org/bertoni/blog-do-bertoni/uma-desfeita-ao-brasil

http://minutonoticias.com.br/marina-silva-e-a-desfeita-ao-brasil

http://blogdomaurelio.wordpress.com/2012/08/03/marina-silva-e-os-interesses-das-nacoes-imperilaistas/

http://defesa.forums-free.com/ameaca-real-ao-brasil-t122s140.html

http://jmonline.com.br/novo/?noticias,15,SOCIAL,66303

http://valdecybeserra.blogspot.com.br/2012/07/uma-desfeita-ao-brasil.html

http://lirioverdedaborborema.blogspot.com.br/2012/08/uma-desfeita-ao-brasil.html

http://www.correioprogressista.com.br/cache/128312

http://irineumessias.blogspot.com.br/2012/08/olimpiadas-de-londres-uma-desfeita-ao.html

http://izidoroazevedo.blogspot.com.br/2012/08/uma-desfei-ta-ao-brasil-hd-senhora.html

http://advivo.com.br/comentario/re-clipping-do-dia-36506

http://terrorismoclimatico.blogspot.com.br/2012/07/0277-uma-desfeita-ao-brasil.html

http://www.pcdob.org.br/noticia_print.php?id_noticia=189956&id_secao=10

http://limacoelho.jor.br/vitrine/ler.php?id=7914

http://forodobrasil.info/fb/?p=3762

http://palavranaufraga.blogspot.com.br/2012/07/uma-desfeita-ao-brasil.html

http://leiturasmarona.blogspot.com.br/2012/07/uma-desfeita-ao-brasil.html

http://coletivizando.blogspot.com.br/2012/08/mauro-santayana-marina-silva-e-desfeita.html

http://brasil247.com/pt/247/ecologia/72940/O-ouro-de-Marina.htm

http://boilerdo.blogspot.com.br/2012/08/inocente-inutil.html

http://brasilsoberanoelivre.blogspot.com.br/2012/08/inocente-util.html

http://vaiencarar.wordpress.com/2012/08/01/marina-e-agente-do-imperialismo/

29 de jul de 2012

O JULGAMENTO DE AGOSTO


(Carta Maior) - O mundo não acabará neste agosto, nem o Brasil entrará em crise, qualquer que venha a ser o resultado do julgamento a que se dedicará o STF no mês que se inicia quarta-feira. Tampouco se esperam grandes surpresas. Ainda que mantenham a necessária discrição – e se registre, que neste caso, não conhecemos ainda manifestações intempestivas de alguns julgadores – é plausível supor que os magistrados já estejam com seu veredicto em mente. O relatório é deles conhecido, e o texto do revisor foi distribuído, houve bastante tempo, até mesmo para redigir os votos. O que vai ocorrer, nas demoradas sessões do julgamento, é o necessário rito, para que se cumpra o devido processo legal. Apesar disso, não é de se desprezar a hipótese de que surjam novas provas e contraprovas, em benefício, ou desfavor, dos réus.

A importância maior desse julgamento está nas reflexões políticas e jurídicas que ele provocará. Admitamos, como é provável, que os argumentos maiores da defesa – de que se tratava de um financiamento, a posteriori de campanha eleitoral – venham a ser admitidos pela alta corte, o que reduziria bastante a punição dos responsáveis. O sistema eleitoral nas democracias modernas – e não só no Brasil, mas no mundo inteiro – é deformado pela influência notória do poder econômico. Há um mercado do voto, como há um mercado da fé, e um mercado da informação. Uma campanha eleitoral é empreendimento complexo, que exige a presença de ideólogos e profissionais de propaganda; de ativistas pagos; de impressos e da produção de programas de rádio e televisão; de logística de transporte e de distribuição de recursos e de pessoal. Em resumo: é preciso dinheiro, e muito dinheiro.

Esse é um dos paradoxos da democracia moderna: sem dinheiro, não há o exercício do voto; com ele, e no volume exigido, a legitimidade do sufrágio é posta em dúvida. Esse é um dos argumentos de filosofia política contra o sistema capitalista, em que o poder do Estado é visto como um bem de mercado, que pode ser ocupado pelos que pagam mais. E não só os indivíduos os que adquirem esse poder: mais do que eles são os grupos de interesse comum, como os banqueiros, os grandes proprietários rurais, as confissões religiosas, as poderosas corporações econômicas, nacionais e multinacionais. Isso, quando não há a interferência direta de governos estrangeiros, como sempre ocorre e ocorreu despudoradamente com a ação do IBAD, nas eleições de 1960 e 1962.

Sempre houve o financiamento privado das campanhas, mas, nesse problema, como em todos os outros, funcionam as leis dialéticas: a quantidade altera a qualidade. No passado, a maior parte dos políticos se valia dos recursos privados de terceiros com alguma discrição, e, alguns casos com constrangimento e pudor. É certo que desonestos sempre houve, corruptos nunca faltaram, desde o governo de Tomé de Sousa até os tempos recentes. Mas, com notável diferença, os candidatos, em sua imensa maioria, quase nunca usavam dinheiro de campanha para seu proveito pessoal.

Em muitos casos, feita a contabilidade final do pleito, destinavam as poucas sobras a instituições de caridade, e, em caso contrário, arcavam com os saldos a pagar, sacrificando os bens de família. Hoje, como frequentemente se denuncia, uma campanha eleitoral pode ser um meio de enriquecimento, como qualquer outro. Essa situação perverte todos os setores do Estado, com o superfaturamento das obras públicas, a corrupção de servidores de todos os escalões. Os cidadãos, no entanto, já demonstram sua reação contra essa perversão da vida social, como revelam movimentos vitoriosos, entre eles a iniciativa da Lei da Ficha Limpa.

A inteligência política é convocada a encontrar sistema de financiamento público de campanha, de forma justa e democrática, a fim de que todos os candidatos tenham a mesma oportunidade de dizer o que pretendem e pedir o voto dos cidadãos. Não é fácil impedir a distorção do processo eleitoral, mas é preciso construir legislação que reduza, se não for possível elimina-la, a influência do poder econômico no processo político.

Estamos em um mundo que se encasula no desencanto e na angústia com relação ao futuro. Há, porém, uma promessa de justiça, na articulação de movimentos de protesto, no mundo inteiro, contra a ditadura mundial do sistema financeiro que, de acordo com a confissão de alguns culpados, se tornou uma quadrilha mundial de gangsters, ou de “banksters”.

Esse termo preciso foi criado para identificar os banqueiros responsáveis pela Depressão dos anos 30, e está sendo reutilizado agora. Não podemos esmorecer na reação dos oprimidos contra essa nova tentativa de ditadura mundial.


Este texto foi publicado também nos seguintes sites:

http://www.cartamaior.com.br/templates/colunaImprimir.cfm?coluna_id=5707

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=1&id_noticia=189775

http://www.conversaafiada.com.br/politica/2012/07/30/santayana-o-julgamento-de-agosto/

http://advivo.com.br/blog/luisnassif/o-mensalao-e-a-discussao-sobre-financiamento-eleitoral

http://www.kaosenlared.net/america-latina/item/26255-brasilmensal%C3%A3oo-julgamento-de-agosto.html?tmpl=component&print=1

http://leopoldotristao.blogspot.com.br/2012/07/o-julgamento-de-agosto.html

http://contextolivre.blogspot.com.br/2012/07/o-julgamento-de-agosto.html

http://gilsonsampaio.blogspot.com.br/2012/07/o-julgamento-de-agosto.html

http://www.pcdob.org.br/noticia.php?id_noticia=189775&id_secao=1

http://www.planetaosasco.com/barueri/index.php?/blogs/santayana-o-julgamento-de-agosto.html

http://sindicato-sintrajus.blogspot.com.br/2012/07/o-julgamento-de-agosto.html

http://dralbertorossi.blogspot.com.br/2012/07/mauro-santayana-o-julgamento-de-agosto.html

http://www.planetaosasco.com/barueri/index.php?/2012073046101/br-em-foco/santayana-o-julgamento-de-agosto.html

http://paginaglobal.blogspot.com.br/2012/07/brasil-o-julgamento-de-agosto.html

http://correiodobrasil.com.br/o-julgamento-de-agosto/493492/

http://esquerdopata.blogspot.com.br/2012/07/o-julgamento-de-agosto.html

http://www.patrialatina.com.br/colunaconteudo.php?idprog=ed277964a8959e72a0d987e598dfbe72&codcolunista=74&cod=2635

http://irineumessias.blogspot.com.br/2012/07/mauro-santayana-o-julgamento-de-agosto.html

http://saraiva13.blogspot.com.br/2012/07/o-julgamento-de-agosto.html

http://opensanti.blogspot.com.br/2012/07/santayana-o-julgamento-de-agosto.html

http://novobloglimpinhoecheiroso.wordpress.com/2012/07/28/mauro-santayana-o-mundo-nao-acabara-com-o-julgamento-de-agosto/

http://observadoressociais.blogspot.com/2012/07/o-julgamento-de-agosto.html

http://www.rodrigovianna.com.br/outras-palavras/o-julgamento-de-agosto.html

http://pagina13.org.br/

http://jornaldodiase.com/noticias_ler.php?id=1821

http://www.facebook.com/permalink.php?id=249637925065410&story_fbid=485446928151174

http://www.atibaianews.com.br/ver_not.php?id=25076&ed=Pol%EDtica&cat=Not%EDcias

http://asfacesdanoticia.blogspot.com.br/2012/07/o-julgamento-de-agosto-mauro-santayana.html

http://ericksilveira.blogspot.com.br/2012/07/o-julgamento-de-agosto.html

http://www.outroladodanoticia.com.br/inicial/39712-reflexoes-politicas-e-juridicas-sobre-a-qfarsa-do-mensalaoq.html

http://opedeuta.blogspot.com.br/search?q=santayana&max-results=20&by-date=true

http://blogcarlossantos.com.br/o-julgamento-de-agosto/

http://professorcavalcante.com/2012/07/30/o-julgamento-de-agosto/

http://www.abadiadegoias.com/2012/08/o-julgamento-de-agosto.html

http://minutonoticias.com.br/mauro-santayana-o-julgamento-de-agosto

http://www.jornalecodojacui.com.br/noticias.php?id=6326

http://rogeliocasado.blogspot.com.br/search?q=santayana&max-results=20&by-date=true

http://www.territorio-mt.com/2012/08/o-julgamento-de-agosto.html

http://selzy.blogspot.com.br/2012/08/o-julgamento-de-agosto.html

http://democraciapolitica.blogspot.com.br/2012/07/o-julgamento-de-agosto.html

http://jrodriguesribamar.blogspot.com.br/search?q=agosto

http://palmasaqui.blogspot.com.br/2012/07/o-julgamento-de-agosto.html

http://blogdeevelingandaragmailcom.blogspot.com.br/2012/07/o-mensalao-e-discussao-sobre.html

http://carcara-ivab.blogspot.com.br/2012/07/o-mensalao-e-o-photoshop-de-um-tempo.html

http://buracosupernegro.blogspot.com.br/2012/07/mauro-santayana-o-mundo-nao-acabara-com.html

http://www.carlosescossia.com/2012/07/blog-post_7082.html

http://www.correioprogressista.com.br/cache/127934

http://vazantenews.blogspot.com.br/2012/07/mauro-santayana-o-mensalao.html

28 de jul de 2012

SERRA E A DEMOCRACIA DE DUAS ORELHAS



(JB)- A verdade, diz um provérbio berbere, é como o camelo: tem duas orelhas. Você pode agarrá-la como lhe for mais conveniente, pela direita ou pela esquerda. Essa parece ser a postura do candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, que prefere a direita. Para quem conheceu o jovem Serra de há quase 50 anos, é um desconsolo descobrir o que o tempo faz aos homens. Não só, como no poema de Drummond, ao abater com sua mão pesada, cobra os anos com “rugas, dentes, calva”, mas também costuma sulcar erosões nas idéias.

José Serra quer calar os blogueiros sujos, e usou o seu partido para isso. Dois nomes são mencionados, Paulo Henrique Amorim e Luis Nassif. Não preciso expressar a minha solidariedade aos atingidos. O que está em questão – e os dois estarão de acordo com o raciocínio – é muito maior do que eles mesmos e todos os outros franco-atiradores da internet. O problema real são os limites que querem impor à democracia.

Ao que parece, há uma liberdade de imprensa para uns, e outra, para os demais. Os grandes veículos de comunicação combatem o governo e recebem dele vultosas verbas de publicidade, como é do conhecimento geral. Alguns poucos blogs, por convicção, defendem o governo federal, mas, conforme o PSDB, estão impedidos de receber verbas publicitárias das empresas estatais.

Nenhum jornalista brasileiro pode se dar o luxo de não contar, em sua remuneração, qualquer que ela seja, com parcelas, ainda que pequenas, de dinheiro público. O poder público é a base de toda a economia nacional. Ele contrata as empreiteiras, compra das grandes empresas industriais, além de subsidiá-las com incentivos fiscais, financia as atividades agropecuárias, paga pelos serviços, participa do custeio das grandes organizações patronais, entre elas a Fiesp, para ficar apenas em São Paulo. Assim, indiretamente, participa de todos os gastos com publicidade.

E mais, ainda: quem paga tudo, afinal, é a sociedade e, nela, os que realmente produzem, ou, seja, os trabalhadores. E são os trabalhadores, com parcela de seu suor, que mantêm o enganoso Fundo de Amparo ao Trabalhador que, administrado pelo Estado, por intermédio do BNDES, financiou as privatizações e continua a financiar empresas estrangeiras, como é o caso notório das companhias telefônicas, a começar pela controlada pelos espanhóis. Em suma, o trabalhador paga pela corda que o sufoca.

Serra, e os que pensam como ele, tentam, como Josué em Jericó, segurar o sol com as mãos, ou, melhor, impedir que a Terra continue rodando em torno de seu eixo e em torno da nossa estrela. A internet é indomável. E, apesar de suas terríveis distorções, como veículo que serve à difamação, à calúnia, à contrainformação, a difusão de atos de insânia – ampliando o que a televisão vinha fazendo – não há, no horizonte das idéias plausíveis, como amordaçar os bytes, imobilizar os elétrons, apagar as telas. Tudo isso poderá ocorrer com uma tempestade solar, mas nunca pela ação dos estados – a menos que, como tantos sonham, um governo fascista mundial destrua o sistema.

O candidato José Serra e seus correligionários se encontram alheios ao mundo que os cerca. Estão como um francês distraído que, em 10 de agosto de 1792, em um dos muitos cafés do Jardim das Tuileries, tomava placidamente uma baravoise – para os curiosos, mistura de café, conhaque e uma gema de ovo, segundo a receita do libertino Casanova. Enquanto isso, a multidão invadiu o Palácio Real – de onde, por pouco, escaparam Luis XVI e Maria Antonieta – e o saqueou. O desconhecido continuou a beber. Todos os que o cercavam fugiram esbaforidos. Na defesa do palácio, morreram seiscentos guardas suíços. O francês distraído estava alheio a tudo, em sua manhã de agosto. Cinco meses depois, o rei e a rainha encontrariam a lâmina da guilhotina.

José Serra e os seus estão pensando em seu outubro, embora estejamos, no mundo inteiro, em tempos semelhantes aos do francês sans souci. Como sempre, o que está em jogo é a mesma reivindicação dos sans culotte: igualdade, liberdade, fraternidade – ou, seja, a democracia real.


Este texto foi publicado também nos seguintes sites:

http://www.jb.com.br/coisas-da-politica/noticias/2012/07/27/serra-e-a-democracia-de-duas-orelhas/

http://www.conversaafiada.com.br/politica/2012/07/27/santayana-cerra-e-a-democracia-de-duas-orelhas/

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2012/07/serra-e-democracia-de-duas-orelhas.html

http://contextolivre.blogspot.com.br/2012/07/serra-e-democracia-de-duas-orelhas.html

http://nogueirajr.blogspot.com.br/2012/07/serra-e-democracia-de-duas-orelhas.html

http://opensanti.blogspot.com.br/2012/07/cerra-e-democracia-de-duas-orelhas.html

http://blogdeumsem-mdia.blogspot.com.br/search?q=duas+orelhas

http://blogoleone.blogspot.com.br/2012/07/serra-e-democracia-de-duas-orelhas.html

http://morronoticiassemcensura.blogspot.com.br/search?q=duas+orelhas

http://mariadapenhaneles.blogspot.com.br/2012/07/serra-e-democracia-de-duas-orelhas.html

http://noticiagratis.blogspot.com.br/2012/06/participe.html#uds-search-results

http://peneiranews.blogspot.com.br/2012/07/serra-e-democracia-de-duas-orelhas.html

http://www.dignow.org/post/serra-e-a-democracia-de-duas-orelhas-4373358-78317.html

http://politica.centralblogs.com.br/post.php?href=serra+e+a+democracia+de+duas+orelhas&KEYWORD=3101&POST=3935630

http://www.dihitt.com.br/barra/santyana-cerra-e-a-democracia-de-duas-orelhas

http://aindaespantado.blogspot.com.br/search?q=DUAS+ORELHAS

http://bloganacletoboaventura.blogspot.com.br/2012/07/tentando-segurar-o-sol-com-as-maos.html

http://www.limarco.blogspot.com.br/

http://blog.seusucessonaweb.com.br/?p=1132

http://picuruta.blogspot.com.br/2012/07/evolucao-das-ideias.html

http://incorporativa.com.br/blog/?p=7694

http://esquerdopata.blogspot.com.br/search?q=duas+orelhas

http://robertomoraes.blogspot.com.br/2012/08/serra-e-democracia-de-duas-orelhas.html

http://ptremdas13e13.blogspot.com.br/search?q=duas+orelhas

http://www.pedal.com.br/forum/jose-serra-andando-de-skate-demagogia_topic53926.html

http://www.vermelho.org.br/se/noticia.php?id_noticia=189811&id_secao=1

http://oblogdoabelha.blogspot.com.br/2012/07/307-mauro-santayana-nao-deixe-de-ler.html

http://correiodobrasil.com.br/mauro-santayana-serra-e-a-democracia-de-duas-orelhas/493520/

http://morronoticiassemcensura.blogspot.com.br/2012/07/mais-uma-obra-prima-do-mestre-santayana.html

http://professorleandrourai.blogspot.com.br/2012/07/santayana-tentando-segurar-o-sol-com-as.html

http://incorporativa.com.br/blog/?p=7694

http://fontelegitima.blogspot.com.br/2012/07/serra-e-democracia-de-duas-orelhas-por.html

http://www.pedal.com.br/forum/jose-serra-andando-de-skate-demagogia_topic53926.html

http://escritosdovhc.blogspot.com.br/search?q=santayana&max-results=20&by-date=true

25 de jul de 2012

OS JOVENS, A ILUSÃO E A MORTE


(HD)- A notícia de que o Brasil é o quarto país da América Latina com maior número de homicídios de crianças e adolescentes, divulgada pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-americanos, CEBELA, é estarrecedora.
Segundo o documento, nos últimos 30 anos, o assassinato de crianças e jovens entre um e 19 anos de idade, teria aumentado cerca de 345%.
A que se deve isso? Por um lado, à migração de milhões de brasileiros do campo para a periferia das grandes cidades, nesse período, tangidos pela seca, pela miséria, pelas doenças e atraídos muitas vezes, não só pela ilusão de ter acesso a melhores condições de vida, mas também, uma grande parcela, pelo espelho mágico e enganador dos “reality shows” e das novelas de televisão.
A transformação de lavradores em trabalhadores urbanos sem qualificação profissional e a busca, pelos seus filhos – a qualquer preço - da “ascensão” social, fragmentou milhares de famílias. Assim, destruídos os laços que as unia, muitos jovens, que só tinham a esperança como bagagem para enfrentar os desafios da cidade grande, foram jogados na prostituição e no tráfico, no vício, na cadeia e no cemitério.
Se a criminalidade decorria antes sobretudo das condições sociais, hoje ela está sendo disseminada, também na classe média, cada vez mais, e mais cedo, pelas drogas, como o crack e pela insistência do sistema em resolver um problema que é principalmente de saúde pública, com a repressão policial.
Os agentes de segurança do Estado se acostumaram a punir o usuário e o pequeno traficante, mas não alcançam os peixes grandes. Esses, envolvidos também com a lavagem de dinheiro, a prostituição e o jogo, corrompem parcelas da polícia para continuar atuando. Dessa forma se mantém o movimento perpétuo de uma imensa rede de exploração e corrupção, que sustenta advogados , e atinge até mesmo o Legislativo - vide o caso Cachoeira – e o próprio Poder Judiciário.
Como a única forma de acesso à droga é o tráfico, o usuário parte para o roubo, o assalto, o assassinato. Mata-se, hoje, por dívidas de cinquenta reais. Todos os dias, corpos de adolescentes de ambos os sexos, cada vez mais jovens, são encontrados manietados, algemados, e crivados de balas em locais de “desova”. Filhos espancam pais – e chegam mesmo a matá-los – para roubar o que possa ser vendido ou trocado por algumas pedras de crack, que serão fumadas em alguns minutos, até que a “fissura” volte a tomar conta do usuário - em todo o país e em todos os estratos sociais.
Enquanto isso, continua o incentivo do “marketing” ao uso do álcool, geralmente a porta de entrada para drogas mais pesadas. É preciso coragem para tratar da dependência química como um problema de saúde pública, e para investir com ousadia na educação correta da infância e da juventude. Sem isso, continuaremos moendo as sementes do futuro.

Este texto foi publicado também nos seguintes sites:

24 de jul de 2012

OS PARAÍSOS FISCAIS E A NOVA SERVIDÃO DOS POBRES


(JB)-O grande pensador britânico George E. Moore, que influenciou, entre outros, Bertrand Russell, e, por seu intermédio, Wittgenstein, buscou, como tantos filósofos, o amálgama entre a lógica e a ética. É provável que o tenha encontrado, ao afirmar que o fundamento de toda filosofia é o bom senso.

Qualquer pessoa dotada de razão é capaz de distinguir entre o bem e o mal, ao examinar determinada situação, a partir do senso comum. Sendo assim, sob qualquer exercício da inteligência, os grandes bancos do mundo não passam de quadrilhas de assaltantes. Não só assaltam isoladamente, mediante as taxas exacerbadas de juros e dos serviços que prestam, mas se associam a outros assaltantes para lesar os trabalhadores e os empreendedores honrados do mundo inteiro.

Os 50 maiores bancos do mundo, segundo os estudos da Tax Justice Network - da qual é um dos dirigentes o notável contabilista britânico Richard Murphy - são responsáveis pela transferência ilegal de 21 trilhões de dólares, em sua imensa maioria dos países em desenvolvimento, para os paraísos fiscais. A cifra é superior à soma do PIB dos Estados Unidos e do Japão. Trata-se de um duplo delito: o dinheiro, que poderia ser usado no desenvolvimento econômico interno, vai ser empregado na especulação financeira ou em investimentos nos países mais ricos do mundo, e são sonegados os impostos devidos aos estados nacionais. Trata-se de um assalto aos que, realmente, o produziram com o seu trabalho.

Os paraísos fiscais não acolhem apenas o dinheiro subtraído ao fisco, mas servem de bom refúgio aos recursos - empapados de sangue e marcados pelo sofrimento de milhões de famílias – procedentes do tráfico de drogas. Como se revelou recentemente, o HSBC admitiu ter servido para a lavagem de dinheiro das quadrilhas mexicanas de narcotráfico.

Os paraísos fiscais se multiplicaram, no mundo, a partir da deregulation anglo-americana dos anos 80, promovida por Reagan e Thatcher, com o objetivo de restaurar o processo de acumulação acelerada do capitalismo do fim do século 19. Embora já houvesse tais paraísos – e a Suíça é o mais antigo e o mais seguro deles – houve perversa competição entre governos de nações menores, com o objetivo de ganhar o máximo na guarda simbólica de tais valores, que não se transferem fisicamente para tais territórios.

Sem os bancos de presença internacional, não seria possível essa peregrinação de recursos ilícitos. Para escapar à vigilância das autoridades honradas de alguns países (porque elas existem), tais recursos virtuais costumam peregrinar, indo de Tóquio a Berlim, de Berlim a Cingapura, de Cingapura a Santiago em alguns minutos, para, em seguida, refugiar-se onde não possam ser localizados.

De acordo com o estudo, os três maiores bancos responsáveis pela evasão de recursos são a UBS (União de Bancos Suíços), o Crédit Suisse e o Goldman Sachs. Eles encabeçam a lista, mas nenhum dos bancos privados que operam internacionalmente se encontram limpos. Uns mais, outros menos, operam na criminalidade.

Não há povos que não sejam vítimas desse saqueio mundial. Conforme o levantamento, a evasão maior procede da China, com mais de um trilhão de dólares nos paraísos fiscais. E estamos em posição desconfortável. Os nossos sonegadores e prováveis integrantes de quadrilhas de narcotraficantes e de corruptos e concussionários, mantêm mais de 520 bilhões de dólares em tais “paraísos”.

Quando o então presidente Itamar Franco quis nomear um contador para o Banco Central, o mundo caiu sobre a sua cabeça. Itamar queria conhecer o conteúdo da chamada “caixa preta” da instituição. O principal denunciador dos paraísos fiscais, o contador Richard Murphy, atribui à fragilidade das leis que regem os sistemas contábeis dos grandes países a responsabilidade pelos crimes cometidos pelas grandes corporações, sobretudo as financeiras, contra os povos do mundo e, assim, pela brutal desigualdade social de nosso tempo.

Os bancos devem ter seus negócios expostos aos acionistas e clientes, e sob a fiscalização permanente das autoridades. Como se sabe, os sonegadores – entre eles, os bancos – operam com duas contabilidades, a real e outra para efeito público. Isso só é possível porque eles financiam as eleições, determinam como devem ser as leis, controlam os meios de informação e cooptam os formadores de opinião.

Se os cidadãos do mundo inteiro não se mobilizarem, o destino dos povos será aquele que parece esperar os gregos, os espanhóis, os sicilianos: nova e mais insidiosa servidão.

Este texto foi publicado também nos seguintes sites:

http://www.jb.com.br/coisas-da-politica/noticias/2012/07/24/os-paraisos-fiscais-e-a-nova-servidao-dos-pobres/

http://www.viomundo.com.br/denuncias/santayana-os-paraisos-fiscais-e-a-nova-servidao.html

http://www.tribunadaimprensa.com.br/?p=43457

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2012/07/paraiso-fiscal-e-servidao-dos-pobres.html

http://www.desenvolvimentistas.com.br/blog/blog/2012/07/25/os-paraisos-fiscais-e-a-nova-servidao-dos-pobres/

http://brasilsoberanoelivre.blogspot.com.br/2012/07/os-paraisos-fiscais-e-nova-servidao-dos.html

http://gilsonsampaio.blogspot.com.br/2012/07/os-paraisos-fiscais-e-nova-servidao-dos.html

http://correiodobrasil.com.br/paraiso-fiscal-e-servidao-dos-pobres-2/493468/

http://luizfelipemuniz.blogspot.com.br/2012/07/os-bancos-quadrilhas-de-assaltantes-e.html

http://www.cut.org.br/destaque-central/49214/mauro-santayana-paraiso-fiscal-e-servidao-dos-pobres

http://www.ecofinancas.com/noticias/paraiso-fiscal-servidao-pobres

http://minutonoticias.com.br/os-paraisos-fiscais-e-a-nova-servidao-dos-pobres

http://www.iranews.com.br/noticias.php?codnoticia=8594

http://sensoreconomicobrasil.blogspot.com.br/2012/07/paraiso-fiscal-e-servidao-dos-pobres.html

http://izidoroazevedo.blogspot.com.br/2012/07/banqueiros-quadrilha-de-assaltantes-diz.html

http://ericksilveira.blogspot.com.br/2012/07/os-paraisos-fiscais-e-nova-servidao-dos.html

http://genaldo40.blogspot.com.br/2012/07/paraiso-fiscal-e-servidao-dos-pobres.html

http://tribuna-da-imprensa.jusbrasil.com.br/politica/103389546/os-paraisos-fiscais-e-a-nova-servidao-dos-pobres

http://www.brasildefato.com.br/node/10208

http://www.tabiranoticias.com.br/2012/07/paraiso-fiscal-e-servidao-dos-pobres.html

http://boilerdo.blogspot.com.br/2012/07/os-grandes-do-mundo-nao-passam-de.html

http://www.boiaquente.info/2012/07/o-que-e-um-assalto-um-banco-perto-da.html

http://carcara-ivab.blogspot.com.br/2012/07/os-paraisos-fiscais-e-nova-servidao-dos.html

http://jopbj.blogspot.com.br/2012/07/paraiso-fiscal-e-servidao-dos-pobres.html

http://17rs.blogspot.com.br/2012/07/mauro-santayana-os-paraisos-fiscais-e.html

http://m.jb.com.br/coisas-da-politica/noticias/2012/07/24/os-paraisos-fiscais-e-a-nova-servidao-dos-pobres/

http://aindaespantado.blogspot.com.br/2012/07/os-paraisos-fiscais-e-nova-servidao-dos.html

http://marivalton.blogspot.com.br/2012/07/os-paraisos-fiscais-e-nova-servidao-dos.html


23 de jul de 2012

OS EUA E SUAS FICÇÕES



(HD)- Os EUA, enquanto sociedade, sempre transitaram entre a fantasia e a realidade. A construção do mito americano e a sua disseminação pelo mundo, foram essenciais para o “american way of life” e a vitória sobre os soviéticos na Guerra Fria.

Usando o cinema como arma de propaganda e cooptação cultural, os Estados Unidos, de Tom Mix a John Wayne, sempre exploraram o mito do cavaleiro solitário, que é rápido no gatilho e vive à margem do sistema, embora, na verdade, Calamity Jane tenha morrido de alcoolismo, Buffallo Bill, de um problema renal, e Bat Masterson, do coração.

O cidadão típico norte-americano acredita piamente nisso, e de vez em quando sua convicção no individualismo vai além da crença, e explode como as bombas do “Unabomber” John Kaczynski, ou do veterano da Guerra do Golfo Timothy McVeigh, que implodiu em 1995 o Edifício Federal de Olklahoma City, com centenas de pessoas em seu interior.

Do hábito de fantasiar o passado de seus mitos os norte-americanos passaram a dar-lhes outras dimensões, mediante a ficção dos quadrinhos, com o aparecimento, em 1938, do Super-Homem, e, não por acaso, um ano antes da eclosão da Segunda Guerra Mundial.

O menino de Krypton seria logo seguido de uma longa linhagem de seres dotados de identidades secretas e super-poderes, e alguns deles, como o Capitão América e o Príncipe Submarino, seriam convocados para combater, no plano da fantasia, os inimigos externos dos Estados Unidos.

Com o tempo, os roteiros e os vilões tornaram-se complexos, soturnos e psicologicamente mais bem estruturados. E a utilização de atores como Danny De Vito e Jack Nicholson para interpretá-los elevou a um outro patamar o que antes estava – teoricamente – dirigido apenas ao público infantil.

O cinema foi criado para que fantasia se sobrepusesse à realidade. Mas, de vez em quando, fantasia e realidade, neste novo mundo dominado pela ânsia da ilusão e do escapismo, tornam-se unidimensionais por um instante, e a tragédia eclode – lá e no resto do mundo.

Foi o que aconteceu na semana passada, em uma sala de cinema de shopping center de Aurora, na região de Denver, no Colorado. Como no título do filme, Batman – O Cavaleiro Negro ressurge das Trevas, um universitário de 24 anos, mascarado e vestido de preto, explodiu duas bombas de fumaça e gás lacrimogêneo dentro do cinema, trinta minutos depois do início do filme, e atirou, em seguida, a esmo, matando doze pessoas e ferindo mais de cinquenta, entre elas crianças. Preso pouco depois, fortemente armado, no estacionamento, o matador, James Holmes, identificou-se como o “Coringa”. Apanhadas, como moscas em uma teia de aranha, entre a ilusão e o fato, muitas vítimas foram atingidas por ter continuado onde estavam, acreditando que tudo aquilo era parte do espetáculo.

O mundo necessita voltar à realidade.

Este texto foi publicado também nos seguintes sites:

http://www.vermelho.org.br/90anos/noticia.php?id_secao=9&id_noticia=189187

http://www.tribunadaimprensa.com.br/?p=43612

http://correiodobrasil.com.br/mauro-santayana-os-eua-e-suas-ficcoes/490053/

http://www.correioprogressista.com.br/cache/126527

http://gilsonsampaio.blogspot.com.br/2012/07/os-eeuu-e-suas-ficcoes.html

http://esquerdopata.blogspot.com.br/2012/07/o-mundo-necessita-voltar-realidade.html

http://brasilsoberanoelivre.blogspot.com.br/2012/07/os-eua-e-suas-ficcoes.html

http://blogoosfero.cc/castorphoto/blog/os-eua-e-suas-ficcoes?toolbar=true

http://carcara-ivab.blogspot.com.br/search?q=eua+fic%C3%A7%C3%B5es

http://www.bancariosrio.org.br/artigos1.php?id=388

http://ericksilveira.blogspot.com.br/2012/07/os-eua-e-suas-ficcoes.html

http://www.luisnassif.com/m/blogpost?id=2189391%3ABlogPost%3A1011625

http://valdecybeserra.blogspot.com.br/2012/07/mauro-santayana-os-eua-e-suas-ficcoes.html

http://novobloglimpinhoecheiroso.wordpress.com/2012/07/26/mauro-santayana-os-eua-precisam-viver-no-mundo-real/

http://www.pcdob.org.br/noticia_print.php?id_noticia=189187&id_secao=9

http://caocamargo.blogspot.com.br/search?q=santayana&max-results=20&by-date=true

http://minutonoticias.com.br/mauro-santayana-os-eua-e-suas-ficcoes

http://escreverenquantoviver.blogspot.com.br/2012/07/as-ficcoes-e-realidade-dos-eua.html

http://lorotaspoliticaseverdades.blogspot.com.br/2012/07/os-eua-e-suas-ficcoes.html

http://tinkunaco.blogspot.com.br/2012/07/tinkunaco-111312-re-carta-o-berro-os.html


22 de jul de 2012

DE REIS INÚTEIS E DE SEUS VASSALOS




(JB) -Um dos mais ácidos panfletos da História, contra a monarquia, é o livro de Étienne de la Boétie, Discours de la Servitude Volontaire. É texto de um adolescente prodígio, que o redigiu antes dos 18 anos, conforme seu amigo maior, e a quem o autor confiou os originais, Michel de Montaigne. Étienne morreu aos 33 anos, e Montaigne não se atreveu a publicar o texto famoso, que ficou conhecido anos depois de sua própria morte. Redigido no século 16, só no século 17 o livro passou a ser editado e a ser lido, assim mesmo com muitas cautelas.

La Boétie, no fabuloso talento prematuro, em que se misturam, ao mesmo tempo, certa ousadia que só a boa fé juvenil autoriza, e fantástica erudição clássica, pergunta-se por que os homens se submetem à vontade de um só, sem que nada, nem na natureza, nem na razão, determine essa submissão.

A monarquia de hoje não é a mesma daqueles séculos, em que os reis, não todos, mas muitos deles, comandavam seus exércitos e corriam todos os riscos nas batalhas, como, entre outros soberanos franceses, fizeram Francisco I e Henrique IV. As famílias reais de nosso tempo estão mais para a comédia do que para a tragédia; mais para a farsa do que para o drama. Luis 16 foi o último dos reis a ter a sua cabeça decapitada. Antes dele, Carlos I da Inglaterra, também conheceu o cepo e a lâmina do carrasco. Os Romanov, dominados por um grande embusteiro, que foi Rapustin, eram de um terceiro tipo, o de retardados mentais, não obstante a crueldade com que reprimiam seu povo, e não foram decapitados, mas fuzilados.

Hoje, os poucos príncipes destronados são meros adornos de festas milionárias. Ninguém se preocupou, nem se preocupa mais, em cortar as cabeças coroadas, porque elas não valem muita coisa, a não ser a despesa que os povos pagam, para que encabecem a lista das celebridades inúteis.

Os escândalos da família real espanhola, que estão na ordem do dia, fermentam novamente a reivindicação republicana na península, oitenta e um anos depois da abdicação de Afonso XIII. O retorno da monarquia foi útil ao processo de normalização espanhola, depois da morte de Franco. Todas as forças políticas aceitaram a fórmula, a fim de evitar nova guerra civil. Cumprido esse papel positivo, a instituição começa a ser um estorvo. O rei, neto de Alfonso XIII, nunca aceitou, em sua alma, o regime democrático e, em fevereiro de 1981, segundo indícios fortes, esteve à frente da conspiração militar contra o governo democrático, que levou à invasão do parlamento pelo tenente-coronel Antonio Tejero Molina. O monarca só interveio, com visível contragosto, pela televisão, depois que a reação dos militares democráticos, no interior dos quartéis, e o pronunciamento dos governos vizinhos inviabilizaram o golpe.

Agora, os escândalos reais se sucedem. Enquanto o governo conservador de Mariano Rajoy corta o orçamento social e a Espanha se submete aos ditados da Alemanha, com o povo em desespero protestando nas ruas, revela-se que as despesas da Casa Real chegam a quase seiscentos milhões de euros, incluídos os gastos com as viagens, a manutenção dos numerosos palácios, a segurança da família do soberano pelas forças armadas e outras despesas indiretas.

A insensibilidade do Rei diante do sofrimento do povo que chega, até mesmo, ao escárnio, em certos momentos, como nas caçadas aos elefantes da África e aos ursos da Romênia, vem retirando a credibilidade de seus súditos. Tanto nos meios intelectuais, quanto entre os trabalhadores espanhóis, começa a adensar-se um movimento para o fim do sistema monárquico e a instauração de uma república democrática.

Ontem, a Espanha foi às ruas, em oitenta cidades, para protestar contra a aprovação de medidas de arrocho contra os trabalhadores, entre elas o fim do 13º salário. Em Madri, os bombeiros e os policiais civis, chegaram a solidalizar-se com os manifestantes, e se opuseram a participar da repressão. Um grupo, com seus capacetes postos, desnudou-se. Um cartaz explicava que o governo os deixara “en pelotas. O clima era o da véspera de grandes acontecimentos.

As nossas relações com a Espanha monárquica devem ser reavaliadas. Com todas as suas dificuldades atuais, as elites espanholas continuam a tratar-nos como se fôssemos colônia de Madri – o que só fomos, e por acidente histórico, entre 1580 e 1640. Em 1580, depois da morte de D. Sebastião, no norte da África, e de seu sucessor, o Cardeal D. Henrique, o trono de Portugal foi ocupado por Felipe II, tio de D. Sebastião. A coroa só foi recuperada para os portugueses, em 1640, pelo Duque de Bragança.

As grandes virtudes do povo espanhol sempre foram, e continuam a ser, insultadas pela sua anacrônica, cara e ociosa nobreza, por nascimento ou pelo êxito nos negócios. E, ao longo de sua história, talvez a Espanha não tenha tido família real tão insignificante, e tão corrompida como a de agora.

As dificuldades econômicas da Espanha de hoje são o resultado desse espírito de presunçosa superioridade de suas elites. Ao entrar para a Comunidade Econômica Européia, e obter vultosos recursos do grupo, os espanhóis, em lugar de investi-los no interior do país, usaram-nos para adquirir empresas na América Latina, principalmente no Brasil. Era uma nova forma de colonialismo que, apesar do saqueio, manso e “legal” de nossos recursos, principalmente depois da embasbacada regência de Fernando Henrique Cardoso, não serviu ao povo espanhol, embora tenha enriquecido muitos banqueiros.

Agora, o próprio genro do Rei é acusado de agir como criminoso, ao lavar dinheiro mal havido e transferir, só para Luxemburgo, mais de 700.000 euros. Suspeita-se de que muito mais dinheiro não honrado foi remetido para o Exterior. Esse genro, Iñaki Undagarin, recebe mais de um milhão de euros por ano, como conselheiro da Telefónica de Espanha para a América Latina. E na América Latina, quem contribui com mais lucros para a empresa espanhola é exatamente o Brasil.

A nossa postura é de solidariedade para com o povo espanhol. Esse grande povo nada tem a ver com esses señoritos que ainda se imaginam no tempo de Carlos V e de Felipe II. Estar com o povo espanhol é não favorecer aqueles que o oprimem.


Este texto foi publicado também nos seguintes sites:

http://www.jb.com.br/coisas-da-politica/noticias/2012/07/20/de-reis-inuteis-e-de-seus-vassalos/

http://www.conversaafiada.com.br/economia/2012/07/20/santayana-reis-inuteis-e-seus-vassalos/#comment-840328

http://www.vermelho.org.br/df/noticia.php?id_noticia=189113&id_secao=1

http://contextolivre.blogspot.com.br/2012/07/de-reis-inuteis-e-de-seus-vassalos.html

http://saraiva13.blogspot.com.br/search?q=reis

http://cadernoensaios.wordpress.com/2012/07/20/x-2/

http://www.bancariosrio.org.br/artigos.php?id=386

http://ericksilveira.blogspot.com.br/2012/07/de-reis-inuteis-e-de-seus-vassalos.html

http://oblogdoabelha.blogspot.com.br/2012/07/217-reis-inuteis-e-seus-vassalos.html

http://www.tribunadaimprensa.com.br/?p=43367

http://gilsonsampaio.blogspot.com.br/2012/07/de-reis-inuteis-e-de-seus-vassalos.html

http://ecoepol.blogspot.com.br/2012/07/santayana-reis-inuteis-e-seus-vassalos.html

http://blogdoqmesmo.blogspot.com.br/2012/07/de-reis-inuteis-e-de-seus-vassalos.html

http://www.boiaquente.info/search?q=santayana

http://www.planetaosasco.com/oeste/index.php?/2012072040159/Nosso-pais/santayana-reis-inuteis-e-seus-vassalos.html

http://tribuna-da-imprensa.jusbrasil.com.br/politica/8890486/de-reis-inuteis-e-de-seus-vassalos

http://blogln.ning.com/profiles/blogs/mauro-santayana-de-reis-in-teis-e-de-seus-vassalos?xg_source=activity

http://www.bancariosrio.org.br/artigos1.php?id=386

http://bloganacletoboaventura.blogspot.com.br/2012/07/historia.html

21 de jul de 2012

BRASIL X ARGENTINA. POR QUE NÃO USAR DIVISAS LOCAIS PARA CONSOLIDAR O MERCOSUL?


O La Nación informa que o Brasil acaba de liberar a entrada de 6500 veículos fabricados pela FIAT em Córdoba, que estavam retidos na fronteira. Já que o problema de Cristina Kirchner é economizar dólares para fazer frente aos seus compromissos externos, o governo brasileiro poderia retomar – de fato – a velha proposta de receber em pesos as vendas brasileiras para a Argentina, e pagar, aqui, em reais, aos exportadores. Com isso, quem sabe, acabam as barreiras argentinas aos produtos argentinos na fronteira, esvazia-se o discurso deles com relação aos superávits brasileiroa, e acaba o principal obstáculo para a consolidação do Mercosul. Os pesos obtidos com a exportação de produtos brasileiros poderiam ser usados para pagar aos argentinos por serviços de turismo, de reparo de navios, ou pelo potássio que a Vale vai tirar, a partir de agora, do Projeto Rio Colorado. O Brasil não está propriamente desesperado para botar a mãos nos dólares argentinos. Temos 375 bilhões de dólares no banco. Do jeito que está, a única coisa que temos conseguido é eliminar vagas em nossas indústrias e aumentar a compra de produtos chineses, dos dois lados da fronteira.

19 de jul de 2012

O GOVERNO FHC, O SANTANDER E O HSBC


(HD) - Entre outros legados de Fernando Henrique Cardoso, se encontra a desnacionalização de alguns bancos, estatais e privados. Os casos mais emblemáticos são o do Banco do Estado de São Paulo, o Banespa, e o do Bamerindus, então controlado pelo Sr. José Eduardo de Andrade Vieira. O banco estatal paulista foi vendido ao espanhol Santander por 7 bilhões de dólares. A importância era muito inferior aos seus ativos reais.

A venda do Bamerindus, na calada da noite, ao HSBC, ainda parece mais grave. O seu controlador fora ministro do governo Itamar Franco e um dos principais financiadores da campanha de Fernando Henrique à Presidência, de cujo governo também participou. Segundo se informou, na época, o HSBC pagou um dólar pelos ativos bons do Bamerindus, e o Banco Central assumiu os ativos duvidosos, ou seja, suas dívidas e seus créditos junto ao mercado.

O Santander se transformou hoje no instrumento de transferência de recursos brasileiros para a matriz espanhola. Associado, ali, aos interesses do governo, hoje acossado pela mais grave crise econômica e social do país das últimas décadas, o Santander sobrevive com a forte participação da sucursal brasileira, responsável por um quarto dos lucros obtidos em suas operações mundiais.

O HSBC foi denunciado, por um comitê do Senado norte-americano, de associação criminosa com os narcotraficantes do México e com fontes financiadoras dos militantes muçulmanos no Oriente Médio. De acordo com a denúncia, que os controladores do banco atribuem à negligência de seus executivos, o HSBC realiza a lavagem de dinheiro dos cartéis mexicanos da droga, e serve de apoio a um banco da Arábia Saudita ligado à Al Qaeda. É possível que esse mesmo envolvimento seja descoberto na Colômbia, com os traficantes de cocaína, e no Afeganistão, o maior produtor mundial da papoula, de onde se extrai o ópio que, refinado, produz a heroína.

O HSBC ( Hong-Kong and Shangai Banking Corporation) apesar do nome, é uma instituição britânica, fundada em 1865, em Londres, que continua a ser sede. De todos os negócios feitos pelo governo Fernando Henrique com bancos estrangeiros, este permanece o mais misterioso. Segundo se sabe, ele foi concluído pelo então Ministro Pedro Malan em viagem sigilosa a Londres, e fechado ali durante a noite. Só então, depois de concluída, a negociação foi divulgada no Brasil.

O novo escândalo se soma aos demais, e a cada dia cresce a pressão da opinião pública mundial a fim de que os governos façam uma devassa nos grandes bancos internacionais e imponham regras rigorosas para o seu funcionamento. Um apelo neste sentido está sendo divulgado pela internethttp://www.avaaz.org/po/bankers_behind_bars_f/?tfGaodb), e se espera que, nas próximas horas, ele atinja um milhão de assinaturas.


Este texto foi publicado também nos seguintes sites:

http://avantebancario.blogspot.com.br/2012/07/o-governo-fhc-o-santander-e-o-hsbc.html

http://carcara-ivab.blogspot.com.br/2012/07/o-governo-fhc-o-santander-e-o-hsbc.html

http://ericksilveira.blogspot.com.br/2012/07/o-governo-fhc-o-santander-e-o-hsbc.html

http://izidoroazevedo.blogspot.com.br/2012/07/o-governo-fhc-o-santander-e-o-hsbc.html

http://cleitondias7.blogspot.com.br/2012/07/o-governo-fhc-o-santander-e-o-hsbc.html

http://blogln.ning.com/profiles/blogs/mauro-santayana-o-governo-fhc-o-santander-e-o-hsbc?xg_source=activity

http://www.boiaquente.info/2012/07/fhc-hsbc-corporation.html

http://militanciaviva.blogspot.com.br/2012/07/o-governo-fhc-o-santander-e-o-hsbc.html

http://cleitondias7.blogspot.com.br/2012/07/o-governo-fhc-o-santander-e-o-hsbc.html

http://chebolas.blogspot.com.br/2012/07/o-governo-fhc-o-santander-e-o-hsbc-hd.html