26 de jun de 2013

O XADREZ TRIANGULAR

               
        
(HD)-Que a administração de Hong Kong consultou a China sob que atitude tomar, no caso de Edward Snowden, e que a China tenha conversado com Moscou e com o Equador sobre o mesmo assunto, não há qualquer dúvida. 

Hong Kong é entidade internacional atípica, mas sob a soberania chinesa. Seus governantes sabem que sua ação diplomática está condicionada a Pequim. Assim, nada fariam com relação a Snowden sem instruções precisas do governo chinês. Os chineses e os russos, os principais alvos potenciais da espionagem eletrônica de Washington, seriam ineptos, se não estivessem em consulta permanente, desde que The Guardian e o Washington Post divulgaram a denúncia do técnico da Booz Allen, e ex-membro da CIA.
       Dessa forma, ao que tudo indica, eles estão agindo de forma coordenada no episódio, e decidiram manter o governo norte-americano em caldo de adrenalina. Esses dias e horas de mistério devem ter sido aproveitados para que Snowden desse detalhes da operação norte-americana.
       Os chineses, como de hábito, são mais discretos, sem deixar de lado a ironia. Tendo sido acusados, pouco antes da constrangedora deserção de Snowden, de entrar nos arquivos digitais americanos, tinham razões de sobra para a desforra diplomática. E mais sólidas ainda, diante das informações detalhadas do técnico sobre o monitoramento das comunicações e registros dos computadores chineses.
      Ao falar, ontem, na Finlândia, Putin foi claro: Snowden se encontra em lugar seguro no aeroporto de Moscou, mas não atravessou a fronteira. Ele é um homem livre, conforme o líder russo, e poderá decidir o seu destino. Os russos esperam que a decisão seja tomada rapidamente, o que será melhor para Moscou e para o próprio fugitivo. Mas, apesar desse desejo de urgência, Putin disse que, não tendo a Federação Russa qualquer tratado de extradição com os Estados Unidos, não tem por que entregar o rapaz a Washington.
    Ao mesmo tempo o Equador informa que está examinando o pedido de asilo formulado por Snowden, a conselho de Assange, refugiado na embaixada de Quito em Londres. Washington mudou o tom de suas exigências. Há algumas horas, Kerry ameaçava diretamente a China e a Rússia de conseqüências em suas relações com os Estados Unidos. O que podem fazer? Os chineses são os maiores credores mundiais dos norte-americanos. Os russos não têm mais o poder soviético, mas não se encontram frágeis. E chineses e russos estão fora da chantagem nuclear de Washington: cada um deles já dispõe de bombas e mísseis capazes de destruir as grandes cidades ocidentais.
    A leitura dos comentários de leitores dos grandes jornais americanos sobre o escândalo do grampeamento mundial das telecomunicações mostra que o governo de Obama está despencando ladeira abaixo. A maioria deles é simpática a Snowden.
        
        

                       

2 comentários:

Anônimo disse...

Uma pena desse quilate já é imortal por natureza! Enquanto isso os "vendilhôes" do país viram acadêmicos! Abs, Sepé Tiaraju

Sérgio Alberto Bastos da Paixão disse...

Muitos chamam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de "canalha" (pessoa sem moral, desonesta, patife, infame, velhaco) ao relembrar episódio em que teria lhe avisado sobre o esquema do mensalão no Congresso.
Erraram no seguinte aspecto, se tirarmos o filtro da hipocrisia e se admitirmos que as atitudes e pensamentos dos nossos atuais políticos acarretam e proporcionam um Brasil nas atuais condições que vivemos, onde a morte, a dor, a violência, a fome e a miséria são fatos e regras; todos os políticos são CANALHAS.
Esta generalização da canalhice que fundamenta o poder e o monopólio da canalhice mantém o Brasil injusto e pobre. Não acredito que Deus ligue para esta situação e queira interferir do contrário gostaria que Ele, uma única vez, fizesse os CANALHAS enxergarem o mal que fazem à humanidade e pediria a Deus que por um lapso de tempo abrisse a visão e o coração dos Canalhas que estão a todo o momento inventando subterfúgios mentais, religiosos e irracionais para justificarem o fato de serem assassinos da dignidade e felicidade humana, principalmente das crianças brasileiras.
Sérgio Alberto Bastos da Paixão
www.facebook.com/sergio.paixao.35