14 de out de 2013

MINISTRO RUSSO CHEGA AO BRASIL PARA PROPOR PRODUÇÃO CONJUNTA DO CAÇA DE QUINTA GERAÇÃO T-50


A possibilidade que aventamos aqui no blog, outro dia, de participação do Brasil no programa PAK-FA, tornou-se oficialmente concreta.
O Ministro da Defesa da Rússia, Serguei Shoigú, que chega a Brasília amanhã, irá propor ao Brasil, não apenas a compra dos caças Sukhoi SU-35, mas também o desenvolvimento e a produção conjunta do caça T-50, de quinta geração.
O projeto do T-50, do Programa PAK-FA, já conta com a participação da Índia, que disponibilizou cerca de US$ 25 bilhões e espera obter a versão de exportação do T-50 até 2018. 
A Força Aérea Russa (FAR) receberá os primeiros T-50 de produção em série este ano, e comprará pelo menos 70 aeronaves.
O caça traz toda uma série de inovações para minimizar sua visibilidade aos radares. E também novos materiais estruturais e revestimentos, inteligência artificial, e componentes de hardware que elevam a indústria aeronáutica russa a um patamar completamente novo.
Um dos destaques do T-50 são os novos polímeros de fibra de carbono, com peso duas vezes menor do que o alumínio e quatro vezes menor que o aço. Como mais de 70% do revestimento da aeronave é composto por novos materiais, o resultado é um avião quatro vezes mais leve que os construídos com material comum.
Além disso, o T-50 se destaca por uma visibilidade reduzida aos radares, ópticos e infravermelhos. A área efetiva da superfície refletora da aeronave é de 0,5 m2, enquanto a do Su-30MKI é de 20 m2. Isso significa que, no radar, o Su-30MKI aparece como um objeto metálico de 5 por 4 metros, enquanto o T-50 tem uma imagem 40 vezes menor.
Dezenas de sensores colocados ao longo da fuselagem permitem controlar a situação em torno da aeronave, e trocar informações, em tempo real, com serviços terrestres e dentro de um esquadrão. Se não bastasse, um “piloto automático” oferece ao piloto da aeronave várias opções de ação. O T-50 é capaz de decolar e pousar em uma pista de 300 a 400 metros de extensão.
O caça possui elevada capacidade de manobra e alto nível de monitoramento. Um radar de matriz ativa faseada instalado na aeronave permite ao piloto ver tudo o que acontece a uma distância de várias centenas de quilômetros, e acompanhar vários alvos aéreos e terrestres ao mesmo tempo.
O armamento  é transportado dentro de compartimentos internos, como exige a tecnologia Stealth. Esses compartimentos podem acomodar até oito mísseis ar-ar do tipo R-77 ou duas bombas inteligentes de 1.500 kg. A aeronave também pode levar em dois pontos duros sob as asas mísseis com capacidade para atingir  alvos a uma distância de 400 km. 

Este texto foi publicado também nos seguintes sites:


9 comentários:

Sacco disse...

Muito melhor do que comprar sucata estadosunidense, parada no deserto há dez anos. Chega de "Mikes"! Com uma parceria dessa, a Índia reacenderá o interesse pelo T50.

Marcelo Souza disse...

O Brasil não pode vacilar desta vez,não aceitar a proposta da Rússia significa legar ao nosso país a eterna dependência dos EUA e colocar em risco a nossa própria soberania nacional haja vista a notória ganancia deste país pela riqueza alheia a qual não enxerga escrúpulos, Dilma tem que decidir se o seu governo é de esquerda ou se é um "
psdb light"

Euclides disse...

Meu caro Mauro. Sempre leio o que me cai nas mãos escrito por você. Esse fato é mais um. Só um comentário despretensioso. Por que devemos gastar dinheiro e esforço do povo de qualquer soberania (nacionalidade)em máquinas de guerras, quando o mundo precisa tanto de aparelhos científicos para cuidar da saúde desse mesmo povo planetário.
Só o amor constroi e essas máquinas são destruidora, mesmo que se faça como dominadora.
Euclides.

Anônimo disse...

Euclides, a questão é que há diversas outras nações que possuem as malfadadas "armas de guerra" e muitas delas tem pretensões imperialistas. Portanto, quem não as possui com objetivo de ataque, deve possuí-las com objetivo de defesa, sob pena de ter suas riquezas e territórios como objetos de fácil conquista. Abs.

Anônimo disse...

Meu caro Mauro. Você é um baluarte do Brasil/Brasil e traz essa contribuição que cada brasileiro deveria ler para ter ciência que podemos ser uma nação soberana.
Um forte abraço e que seu artigo seja disseminado Brasil afora, para fugirmos das imposições dos que nos espionam.

Laerte Braga

leandro stracke nando disse...

Se DILMA vasilar agora tem de entregar o cargo por que vai ficar sendo vista como uma governate de centro direita ou uma psdb laith que sedeu a arrogancia imperialista .

Probus disse...

Euclides, a História diz que "em tempos de paz devemos nos preparar para a guerra".
Está provado que modernas e poderosas "Máquinas de Guerra" causam DISSUASÃO e respeito contra os PIRATAS da OTAN, que o digam a LÍBIA e a Coréia do NORTE.
Só o amor constrói, bebês.

Anônimo disse...

A presidenta Dilma Rousseff já fez a defesa na parte moral, política e diplomática, denunciando a espionagem em diversos lugares, inclusive da tribuna da ONU. Mas, depois do verbo, deve vir uma tomada de atitude, urgente e necessária. Então, deveria agir de forma concreta e objetiva, porque não adianta reclamar se a casa continua aberta com um convite para o "diabo" entrar, etc. Então, vejamos uma resposta prática. Faz tempo que o Brasil precisa comprar os aviões de caça, mas, não decide se quer avião americano ou europeu, faz quase doze anos que vive neste lero-lero. Somente para lembrar, quando o Brasil quis vender aviões da Embraer, do tipo Supertucano, para a Venezuela, a venda foi suspensa porque o dito avião tinha alguns componentes americanos, etc. Então, agora, o governo brasileiro deveria aproveitar o embalo do momento para comprar da Rússia, que é um país membro dos BRICS, os jatos do tipo Sukoi (SU 35), que são melhores e seguros no que se refere ao quesito sabotagem tecnológica, etc. Isto seria a resposta adequada para o governo americano. Aliás, esta é a única linguagem que eles entendem e respeitam. [Chico Barauna, 17-10-2013].

Rafael Aires disse...

Mauro gosto muito de ter um Brasil que pensa no futuro tecnológico militar, mas não adianta o povo pensar isto, se a presidente Dilma não tem coragem para dizer não aos americanos, não recordo de nenhum politico vivo que tenha coragem. Ano que vem é ano de eleição, e se você olhaste as ultimas pesquisas o Aécio(PSDB "eles adoram o estilo neoliberalismo imposto pelos americanos"), não terá defesa... Saudades do Éneias.... ele dizia: quer ser respeitado tenha bomba atômica.... pura verdade...