19 de jan de 2013

CÂMBIO E IMPORTAÇÕES AMEAÇAM DESTRUIR A INDÚSTRIA ELETRÔNICA BRASILEIRA.



A recuperação da indústria em novembro, a primeira desde março de 2012, não deu para ocultar o fato de que a competitividade dos manufaturados nacionais vem caindo, principalmente por causa do câmbio e a invasão dos importados. Um dos piores desempenhos no mês foi o da indústria de material eletrônico e de comunicação, e isso apesar da explosão de consumo, por causa das vendas de Natal no fim do ano.
As horas trabalhadas no setor caíram expressivos 23,5% e o emprego recuou 11,7% na comparação com novembro de 2011. A utilização da capacidade instalada diminuiu 4,2 pontos percentuais e a massa salarial real registrou queda de 1,3%.
Se o governo não agir logo, chamando os fabricantes de equipamentos a substituir parte das importações por fornecedores locais, e não deixar o dólar seguir se valorizando, pouco a pouco, para aumentar o custo dos insumos que vem de fora, corremos o risco de ver a indústria eletrônica naufragar definitivamente até meados do próximo ano. Não adianta melhorar o consumo, se ele continuar tendo a sua expansão suprida com produtos feitos fora do território brasileiro. A nossa maior riqueza é o mercado interno. É preciso administrá-la como um diferencial estratégico, há que existir um toma lá dá cá, no acesso ao mercado brasileiro, senão vamos voltar a ser apenas  colônia mercantilista que fomos a maior parte do tempo antes e depois da independência.

Nenhum comentário: