6 de jan de 2013

O MEU TEXTO SOBRE O PRÍNCIPE CHARLES E OS MONARQUISTAS DA CAUSA IMPERIAL.



Os responsáveis pelo site monarquista brasileiro A Causa Imperial, editado na Cidade do Porto, em Portugal, parecem não ter gostado muito do meu texto O Príncipe Lobista, publicado semana passada, sobre o Príncipe Charles. A título de curiosidade, faço questão de reproduzir a "resposta"deles sobre o assunto, que saiu na seção Destaque, com chamada na primeira página,  coerentes que somos, aqui no blog, com a defesa da liberdade de opinião:

As coisas que o Sr. Santayana não vê…Artigo do Mauro Santayana – 


(http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=9&id_noticia=202403)


Primeiramente, colocar um post de um blog chamado “vermelho.org”, considero uma afronta quando não um desrespeito imenso para com a Causa Imperial. Além de ser uma honra imerecida que o blog teve, quando na verdade não merece nenhuma.
Mauro Santayana, jornalista do JB, correspondente do mesmo jornal na Europa, na década de 70, é o estereotipo clássico do jornalista brasileiro hoje: talismã da esquerda, com seu discurso jacobino, reedita não só a ignorância, mas também vitima os ouvidos dos outros com os seus preconceitos, oriundos de seu desconhecimento e da sua parcialidade.

No mesmo artigo, Santayana, mais uma vez mostra a seu total ranço revolucionário ao dizer: “A monarquia é um sistema que o bom senso moderno repele”.
Bom, na opinião dele, o regime da Cuba, do Irão, da Coreia do Norte é o melhor que o bom senso dele aceita e o bom senso dos outros deve aceitar.

O realejo do seu besteirol ininterrupto continua:

“Há monarcas que se mantêm no Trono com discrição e absoluto respeito constitucional ao Parlamento, como são os soberanos dos países nórdicos. Mas as monarquias inglesa, holandesa e espanhola se mostram, a cada dia mais, servidoras de seus próprios interesses. Os escândalos se sucedem, em uma ofensa direta aos trabalhadores”.

Santayana esquece, ou não faz questão nenhuma de se lembrar, que muito dos poderes reais, nas últimas décadas, quase em todos os países monárquicos da Europa, tem sido reduzido por influencia e obra de políticos da ala esquerdista ou filo-esquerdistas.

Ou o sr. Santayana esqueceu do Ex-Primeiro Ministro, Jean-Claude Juncker, que o levou ao Parlamento luxemburguês um projeto de lei, e este, aprovou então uma alteração à Constituição e reduziu os poderes do chefe de Estado. O porque disso?? Simples, o Grão Duque Henrique se recusou a autorizar a Eutanásia em seu país, por uma “questão de consciência”.

Está ai o seu bom senso Sr. Santayana! O da tolerância, bem a moda de Herbert Marcuse: “Toda tolerância a esquerda, nenhuma a direita”. Sequer respeitou a opinião do Grão-duque Henrique enquanto pessoa.

Santayana também é do tipo que não olha para o próprio umbigo, ontem um dos condenados do caso do “Mensalão” assumiu o cargo como deputado, nenhuma repercussão foi escrita ou sabida de sua parte.

“Não obstante isso, o espírito conservador britânico tem prevalecido para conter essa manifestação de bom senso.”

Graças a Deus Sr. Santayana, que os britânicos não tem o seu bom senso. Pois, se tivessem eles teriam um Lula, ou quem sabe um Ahmadinejad no trono. Ou então, já imaginou uma república bolivariana em Londres,fazendo apologia as FARC’s do balcão do Palácio de Buckingham?

“É certo que a monarquia foi o ponto de encontro e de entendimento, na Espanha, para encerrar o capítulo do franquismo, sem choques e com o estancamento de sangue, que durou até a morte de Carrero Blanco. Mas, cumprida essa função histórica, passou a ser inútil e prejudicial ao interesse da Nação. “

Foi e continua sendo! E permita Deus, que sempre seja! Eu desejaria ver o senhor em seu visionarismo, permitir uma mesma colocação a outros regimes, e o senhor sabe bem os quais….

Depois como jornalista o Sr. Mauro Santayana não segue ou não quer ver os outros periódicos. 

Link original da matéria:

http://www.causaimperial.org.br/?p=2351

5 comentários:

wesleyrj disse...

Com todo respeito que tenho a você- falo com sinceridade,não é pura retórica, basta verificar meus comentários no seu blog- mas o seu "Bom Senso" e o "o Deus" deles empobreceram a discussão.

Anônimo disse...

Depois de ler um texto destes, aí é que você se convence de vez que contra a monarquia. Sujeitinho mais reacionário e odioso!

Mauro Santayana disse...

E o interessante é que sequer citei o Duque de Luxemburgo, se de Luxemburgo se trata mesmo esse Conde. Da família dinástica de Luxemburgo, só conheço a opereta “O Conde de Luxemburgo”, de Franz Lehar, com libreto de Alfred Willner, encenada pela primeira vez há mais de um século.

Anônimo disse...

cruzes, esse pessoal ainda existe mesmo após o plebiscito?

Unknown disse...

Depois dessa replica tola, fixa-me mais, um pensamento antigo, acerca das monarquias e seus usufrutuários:

toda corte é perdulária, ociosa e corrupta.